Esportes

Ferrari levará 'pancada' da FIA por armação, diz Lauda

Da Redação ·

O ex-piloto da Ferrari Niki Lauda, que foi três vezes campeão mundial de Fórmula 1, afirmou nesta quinta-feira que a escuderia italiana deverá receber uma dura punição do Conselho Mundial da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), no próximo mês, por causa da polêmica decisão de obrigar Felipe Massa a abrir passagem para Fernando Alonso ganhar o último GP da Alemanha.

continua após publicidade

Por causa da sua atitude, evidenciada pelas conversas via rádio entre pilotos e os integrantes da equipe durante a corrida, a Ferrari recebeu uma multa de US$ 100 mil. Porém, a FIA voltará a analisar o caso no próximo dia 8 de setembro, quando uma nova sanção poderá ser anunciada.

continua após publicidade

Para Lauda, não há como a Ferrari se livrar de uma punição pesada. "O que eles (integrantes da equipe) fizeram em Hockenheim foi contra as regras. Ou o regulamento muda, ou todo mundo passa a respeitá-lo. Eles cometeram um erro e receberam uma punição imediata. E vão levar pancada do Conselho Mundial, pode ter certeza", prevê o ex-piloto, em entrevista publicada pelo site oficial da Fórmula 1.

continua após publicidade

Para defender uma punição contra a Ferrari, Lauda lembrou que a Red Bull, escuderia que lidera o Mundial de Construtores, tem proporcionado uma disputa igual a Mark Webber e Sebastian Vettel, seus dois pilotos titulares. "Você tem dois modelos de como correr na Fórmula 1 como um time. Se você faz isso através de política, então é o jeito da Ferrari. Ou você pode tentar dar aos dois pilotos igualdade de condições e um esporte empolgante aos fãs, como tem feito a Red Bull ao deixar os seus dois pilotos competirem entre eles", reforçou.

O Conselho Mundial da FIA julgará a Ferrari no próximo dia 8 por causa de duas infrações ao regulamento da entidade. Uma fere o artigo 39.1, que proíbe ordens de equipe que interfiram no resultado de uma corrida, e a outra está relacionada ao 151, que lembra que não é permitido comprometer a credibilidade do esporte por causa de atitudes cometidas dentro da pista.