Esportes

Inter vira sobre o Chivas no México e fica perto da taça

Da Redação ·
 Internacional conseguiu boa vantagem para o jogo de volta no Beira-Rio
fonte: Reuters
Internacional conseguiu boa vantagem para o jogo de volta no Beira-Rio

O Internacional venceu o Chivas or 2 a 1, de virada, nesta quarta-feira, em Guadalajara, e ficou a um empate de seu segundo título da Copa Libertadores da América. Superior ao rival mexicano o tempo todo, até mesmo quando ficou em desvantagem no placar, o time brasileiro poderia até voltar para Porto Alegre com mais comodidade - colocou duas bolas na trave.

continua após publicidade

Com o resultado, o Inter pode até empatar o jogo de volta, na próxima quarta, no Beira-Rio, que será dono da América pela segunda vez em quatro anos. O Chivas precisará repetir o que fez na semifinal, diante da Universidad do Chile: vencer por dois gols de diferença fora de casa. Se ganhar por um, haverá prorrogação, e se preciso, disputa de pênaltis. Não há gol qualificado na decisão da Libertadores.

continua após publicidade

O domínio do Inter foi evidente em todo o jogo. A equipe mexicana abriu o placar no seu primeiro ataque efetivo na partida, aos 43 minutos do primeiro tempo. O atacante Bautista foi lançado por Fabián na entrada da área e, de cabeça, encobriu Renan, que estava adiantado. O goleiro, que já havia falhado na segunda semifinal contra o São Paulo, não havia feito nenhuma defesa sequer.

continua após publicidade

O jogo, até então, era todo do Inter, que se adaptou facilmente ao gramado sintético do estádio Omnilife e impôs sua melhor qualidade técnica. O time brasileiro criou todas as suas chances pelo lado esquerdo. Logo aos 5 minutos, Kléber recebeu na área e bateu na trave. Aos 29, Alecsandro cobrou falta no travessão, sentiu a coxa direita e teve de ser substituído por Éverton. Depois, foi a vez de Taison perder chance clara ao cabecear um cruzamento de Kléber em cima da zaga.

Sem Alecsandro, o Inter perdeu sua referência na área e passou a depender da inspiração de Giuliano ou D'Alessandro. Os chutes de longa distância, bom artifício para se usar em gramados sintéticos, em que a bola pula mais que o normal, foram poucos tentados. Mas foi num deles que D'Alessandro quase empatou, aos 24 da etapa final. O argentino solto uma bomba com sua canhota e a bola passou rente à trave esquerda.

continua após publicidade

Irritado com a apatia de Éverton, que não conseguia fazer o pivô para a chegada dos meias, o técnico Celso Roth o trocou por Rafael Sóbis. E o Inter nem precisou esperar para ver se a mudança surtiria resultado. Logo em seguida, aos 27, Kléber levantou com capricho na cabeça de Giuliano que, predestinado, marcou pela quinta vez e assumiu a artilharia isolada do Inter na Libertadores. O segredo era o jogo aéreo. Quatro minutos depois, D'Alessandro levantou da direita, Índio ajeitou e Bolívar mergulhou entre os zagueiros para decretar a virada. Agora basta manter a invencibilidade dentro de casa para ratificar o título.

continua após publicidade

FICHA TÉCNICA:

continua após publicidade

Chivas 1 x 2 Internacional

Chivas - Michel; Magallon, Luna e Reynoso; Ponce, Mejía, Fabián (Escalante), Arellano (Araujo) e Baez (Davila); Bautista e Bravo. Técnico - José Luis Real.

continua após publicidade

Internacional - Renan; Nei, Bolívar, Índio e Kleber; Sandro, Guiñazu, Giuliano e D’Alessandro; Taison (Wilson Mathias) e Alecsandro (Éverton (Rafael Sóbis)). Técnico - Celso Roth.

continua após publicidade

Gols - Bautista, aos 43 minutos do primeiro tempo; Giuliano, aos 27, e Bolívar, aos 31 minutos do segundo.

Árbitro - Héctor Baldassi (Fifa-ARG).

Cartões amarelo - Ponce, Sandro e Luna.

Local - Estádio Omnilife, em Guadalajara (México).