Esportes

Marcação fraca pode inviabilizar ataque com Diego Souza e Fred

.

BERNARDO GENTILE
RIO DE JANEIRO, RJ (UOL/FOLHAPRESS) - Após seis jogos com a camisa do Fluminense, Diego Souza já deixou claro sua pouca efetividade na marcação. Sob o comando de Eduardo Baptista, o camisa 10 ficava, juntamente com Fred, à frente da linha de quatro meio-campistas, mas pouco ajudava no combate ao adversário.
As falhas apresentadas pelo jogador no sistema defensivo, porém, têm atrapalhado a equipe. Contra o Friburguense, na quarta-feira (2) foi clara a falta de entrega de Diego na marcação, o que resultou no gol de Bidu, que precisou de duas tentativas para balançar as redes enquanto o camisa 10, parado, apenas observava o goleiro Diego Cavalieri tentar impedir o gol.
Sem Fred, Diego Souza fica mais livre e tem menos obrigação na marcação. Quando o camisa 9 voltar, porém, o apoiador precisará mostrar comprometimento ainda maior com o sistema defensivo. Ou seja, o quadro seria ainda pior do que foi visto diante do Friburguense.
“Começamos muito bem no primeiro tempo. Poderíamos ter feito mais gols. Como não definimos o placar, o adversário complicou. A vitória foi muito importante. Era nosso objetivo aqui. Vamos tentar zerar tudo e começar uma nova fase. Agora é fazer melhores treinos e melhores jogos”, disse o auxiliar técnico Marcão, que comandou o Fluminense na quarta.
A escalação conjunta de Fred e Diego Souza vinha gerando questionamentos ao ex-treinador Eduardo Baptista, que buscava a melhor formação para encaixar a dupla sem perder poder de marcação. Não por coincidência, a melhor atuação do Fluminense no ano ocorreu contra o Cruzeiro, justamente quando o camisa 10 jogou como único atacante e sem Fred, suspenso.
Na oportunidade, Diego Souza fez dois gols, deu uma assistência e comandou o Fluminense na vitória por 4 a 3, no Mineirão, pela Primeira Liga, no dia 17 de fevereiro. A eficiência não se repete quando os dois estão em campo no time titular.
Juntos, Diego Souza e Fred tiveram quatro jogos até o momento. Foram duas derrotas (Flamengo e Botafogo), um empate (Madureira) e uma vitória (Tigres). Isso representa um aproveitamento de 33,3% dos pontos em disputa. Com o camisa 10 e sem o centroavante, o time tricolor venceu os dois jogos que disputou (Cruzeiro e Friburguense), apesar da péssima atuação de Diego Souza no último jogo.