Esportes

Paes alerta para risco de atraso em obra do metrô para a Olimpíada

.

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - O plano de transportes para os Jogos Olímpicos do Rio pode ser alterado e o metrô pode dar lugar ao BRT (corredor exclusivo de ônibus). Essa possibilidade foi revelada após a divulgação de um e-mail confidencial no qual o prefeito do Rio, Eduardo Paes, alerta ao COI (Comitê Olímpico Internacional) que "o projeto [do metrô linha 4] se encontra em um nível de risco".
O conteúdo do e-mail foi divulgado neste sábado (20) pelo jornal "O Globo".
Na publicação, Paes afirma que existe o risco de que todo o plano de transportes seja comprometido com o atraso da obra. O problema seria o atraso na liberação de um novo financiamento do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), por parte do governo federal. O valor do aporte giraria em torno de R$ 1,3 bilhão.
No e-mail, o prefeito do Rio também pede uma reunião de emergência com Philip Bovy, consultor do COI que estará na cidade nos próximos dias, para falar sobre a nova alternativa ao plano original, criada pelo secretário de transportes Rafael Picciani. O prefeito ainda pede que a opção já comece a ser estudada e submetida a avaliação do comitê.
O plano B consistiria na expansão provisória do BRT até a zona sul do Rio, com a implementação de corredores exclusivos para os ônibus. Esses corredores seriam implantados em vias nas quais estão previstas faixas exclusivas para o deslocamento de delegações olímpicas. Ainda segundo o jornal "O Globo" o custo estimado para a operação seria em torno de R$ 7,4 milhões.
Ainda segundo o jornal, para que o plano fosse posto em prática, seria necessário uma frota de 115 ônibus articulados, o que segundo o sindicato das empresas seria inviável devido a falta de recursos para adquiri-los e ao pouco tempo hábil para encomendá-los.
Sobre o plano de uso do BRT no lugar do metrô, assessoria de imprensa da prefeitura do Rio de Janeiro afirmou que se trata apenas de uma alternativa ao projeto original. E que é "natural" que haja um plano B para todos os tipos de operação dos jogos.
OUTRO LADO
Segundo o secretário estadual de Transportes, Carlos Roberto Osório, o governo do Rio foi surpreendido pela comunicação do prefeito ao Comitê Olímpico Internacional.
Ele afirmou que não existe atraso na linha 4 do metrô e que a expectativa é concluir a obra em 1º de julho deste ano, a tempo para a Olimpíada do Rio (5 a 21 de agosto).
"Os maiores desafios de engenharia já foram superados. A obra está quase 90% concluída. Estamos na fase final de instalações de sistemas e acabamentos. Os trens no Rio", disse Osório.
A inauguração prevista para julho é da linha entre a praça Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, zona sul do Rio, até a Barra da Tijuca. É o trecho necessário para a Olimpíada. O ramal da Gávea vai ser concluída após a Olimpíada.
O secretário disse não saber o motivo do alerta do prefeito e se seria uma forma de pressionar o governo federal a liberar os recursos.
Sobre o financiamento do BNDES, o secretário disse que o Ministério da Fazenda autorizou a liberação de uma parcela de R$ 445 milhões pelo banco, o que deve ocorrer entre o fim de fevereiro e o início de março.
Esse valor faz parte do contrato original de financiamento do metrô e teria sido liberado após visita do governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, ao Ministério da Fazenda, em Brasília, na última sexta-feira (10).
Para a conclusão do trecho entre Ipanema e Barra da Tijuca, o governo do Rio precisará de um empréstimo adicional de R$ 500 milhões do banco entre abril e maio deste ano.
"Esses valores já foram aprovados pela presidente [Dilma Rousseff]. O que precisamos é apenas acertar os trâmites com o Ministério da Fazenda", disse Osório.
No segundo semestre deste ano, o governo do Rio precisará de outro empréstimo adicional de R$ 450 milhões para concluir a estação da Gávea e a conexão com a linha 1 de metrô.
O metrô da Linha 4 deverá custar ao todo cerca de R$ 10 bilhões, incluindo os investimentos da concessionária Rio-Barra.