Mais lidas
Esportes

Restrição de militares tira seleção de atletismo de 'QG' olímpico nacional

.

PAULO ROBERTO CONDE
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Devido a uma restrição, o atletismo brasileiro decidiu mudar seu lugar de preparação final para os Jogos Olímpicos do Rio, de 5 a 21 de agosto.
A equipe faria aclimatação na Fortaleza de São João, complexo militar na Urca, com mais de dez outras modalidades do país.
O local foi designado pelo COB (Comitê Olímpico do Brasil) como ponto final da preparação olímpica. As instalações esportivas têm sido todas reformadas pelo governo federal, ao custo de R$ 20,4 milhões.
Há no complexo uma pista de atletismo e um campo. Porém, a CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo) soube que não poderia usar o gramado, uma necessidade para as práticas de arremesso e lançamento. Só seria permitido o uso da pista, para velocistas, meio-fundistas e fundistas, e das áreas de saltos.
Dada a restrição, a confederação preferiu arrumar outro centro de treinamento e levar toda a delegação.
Agora, todos os representantes do atletismo nacional farão seus treinos na CDA (Comissão de Desportos da Aeronáutica), em Campo dos Afonsos, na região sudeste do Rio.
O local fica a aproximadamente 11 km do Estádio Olímpico João Havelange, o Engenhão, palco das provas de atletismo nos Jogos de 2016.
"No fim, foi até bom, porque lá fica longe de tudo", afirmou Ricardo D'Angelo, treinador-chefe da seleção brasileira. A decisão da mudança foi tomada em dezembro.
Segundo D'Angelo, a CDA foi reformada recentemente e tem boas pistas. No local, também está sendo construído um alojamento. O centro é um dos complexos certificados pelo Comitê Organizador dos Jogos Rio-2016 para treinamento de equipes de todo o mundo.
D'Angelo disse que não haverá congestionamento entre brasileiros e estrangeiros.
"Haverá duas pistas disponíveis na CDA: uma para os outros países e outra só para o Brasil. Acho que vamos treinar lá a partir de 18 de julho", contou o treinador-chefe.
De acordo com ele, a CBAt não pagou para poder usar a instalação da Aeronáutica. A confederação cogita fazer uma breve passagem pela Fortaleza de São João para não criar um mal estar com o comitê olímpico nacional.
Procurado pela reportagem, o Exército, em nota, afirmou que o COB é o responsável pela delegação brasileira e é a entidade que estabelece quais equipes treinarão na Fortaleza de São João.
O Exército não comentou, porém, a restrição aos danos no campo de atletismo.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber