Mais lidas
Esportes

Atlético-MG traça estratégias para motivar time na reta final do Brasileiro

.

VICTOR MARTINS
BELO HORIZONTE, MG (UOL/FOLHAPRESS) - Uma semana depois de ser derrotado pelo Corinthians e praticamente ficar sem chances de título no Campeonato Brasileiro, o Atlético-MG volta campo para enfrentar o Figueirense. Como as chances de ser campeão são quase nulas e a possibilidade de a equipe ficar fora da Copa Libertadores 2016 também são remotas, a busca é por novas motivações.
A principal delas é a confirmação do vice-campeonato. Depois de ser líder da competição por algumas rodadas e passar praticamente todo o segundo turno em busca da primeira colocação, para os jogadores atleticanos seriam ainda mais frustrante ficar sem a segunda colocação.
"A obrigação é o segundo lugar. Pelo que a gente fez no campeonato, a gente tem que, no mínimo, terminar em segundo lugar, para pegar a Libertadores direto e não ter trabalho", comentou o capitão Leonardo Silva.
Atualmente a diferença para o Grêmio, que está na terceira colocação, é de três pontos. Como ainda tem o confronto direto, na penúltima rodada, em Porto Alegre, o Atlético precisa pontuar contra Figueirense, São Paulo e Goiás, os adversários que antecedem o confronto na casa tricolor. Inclusive, outra meta está definida apenas para as próximas três rodadas. O time mineiro quer ir para o Rio Grande do Sul com pelo menos quatro pontos de vantagem sobre o concorrente direto pela segunda posição.
"A ideia é que nós cheguemos até o jogo contra o Grêmio com vantagem ou com essa vaga confirmada. Mas não adianta fazer projeção para esse jogo do Grêmio, sem esquecer os adversários que ainda temos até lá. Temos três jogos pela frente até chegar no Grêmio. Então é procurar manter essa distância que temos em relação a eles para confirmar essa distância e a vaga", disse o goleiro Victor.
Ser vice-campeão já é suficiente para o Atlético alcançar os outros dois objetivos traçados para os jogos finais do Brasileirão. A classificação direta para a Copa Libertadores e o prêmio pago pela CBF pelo desempenho na competição. A diferença entre ser o vice-campeão e o terceiro colocado é de R$ 2 milhões.
"Nessa crise que está, qualquer dinheiro é bem-vindo. A gente queria o título, mas pensando pelo lado do dinheiro também é bom", completou o volante Leandro Donizete.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber