Mais lidas
Esportes

Depois de 14 anos, Brasil voltará a ter número um do mundo no tênis

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Quase 14 anos depois de Gustavo Kuerten, o Guga, ser número um do mundo no tênis pela última vez, o Brasil terá um novo líder do ranking, desta vez nas duplas.
Nesta sexta-feira (23), o mineiro Marcelo Melo, 32, venceu, em parceria com o polonês Lukasz Kubot, a dupla formada por Jean-Julien Roger e Horia Tecau, nas quartas de final do ATP 500 de Viena. A vitória foi por 2 sets a 0, com parciais de 7/6 e 6/4, em uma hora e 26 minutos de jogo.
Com o resultado, Melo aparecerá em primeiro lugar do ranking da ATP (Associação dos Tenistas Profissionais) daqui a duas semanas, no dia 2 de novembro, superando os americanos Bob e Mike Bryan.
Ele será o primeiro tenista do país a liderar o ranking de duplas do circuito profissional. A última vez que o Brasil teve um nome no topo da lista foi em simples, com Guga, em novembro de 2001.
O ano de 2015 é o melhor da carreira do mineiro. Ele venceu quatro torneios até o momento, sendo que a conquista de Roland Garros ao lado do croata Ivan Dodig foi a mais importante.
Nas duas últimas semanas, Dodig, parceiro habitual de Melo, decidiu se dedicar aos jogos de simples, e o brasileiro venceu o ATP 500 de Tóquio e o Masters 1.000 de Xangai ao lado do sul-africano Raven Klaasen.
Desta vez jogando com Kubot, Melo enfrentará David Marrero e Andreas Seppi na semifinal de Viena.
ENTENDA O RANKING
Atualmente, Marcelo Melo está em terceiro no ranking de duplas da ATP que leva em consideração o desempenho individual. Como é comum que os tenistas troquem de parceiros, existe um ranking para as parcerias e outro para os atletas.
Melo tem 7.980 pontos. Os dois primeiros colocados são os irmãos americanos Bob e Mike Bryan, com 8490. Normalmente, os gêmeos jogam juntos, mas nesta semana, por conta do nascimento do terceiro filho de Bob, Mike disputou o ATP de Viena com o compatriota Steve Johnson e foi eliminado na primeira rodada, sem somar pontos.
Além de ficarem estagnados nesta semana, os irmãos terão 1.000 pontos descontados na semana que vem pelo título conquistado no Masters de Paris do ano passado. No ranking do tênis são considerados os 18 melhores desempenhos nas últimas 52 semanas.
Ao chegar à semifinal de Viena novamente, o brasileiro defendeu os 180 pontos que conquistou no torneio do ano passado. Além disso, Melo perdeu na estreia de Paris em 2014. Quando a pontuação do Masters francês parar de valer, Melo poderá acrescentar no seu ranking 90 pontos obtidos em 2015 e que não estavam valendo por conta do limite de 18 torneios para a classificação.
Sendo assim, ele irá a 8.070 pontos, contra 7.490 dos irmãos Bryan. Mesmo que Mike vença algum dos torneios que valem 500 pontos na semana que vem, alcançaria 7.990 no ranking do dia 2 de novembro.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber