Esportes

Apucarana precisa vencer na Chave Bronze de Futsal

Da Redação ·
 Os torcedores terão entrada franca hoje no Lagoão para a partida deste sábado
fonte: Arquivo TN
Os torcedores terão entrada franca hoje no Lagoão para a partida deste sábado

A equipe de futebol de salão do Apucarana/Cafeeira Ouro Verde/Tribuna do Norte joga hoje, às 20h30, no Ginásio Municipal de Esportes José Antônio Basso (Lagoão), em Apucarana, contra o time da Cipauto/Romera, de Toledo, pelo Grupo F do Campeonato Paranaense Chave Bronze de Futsal Adulto.

continua após publicidade


A equipe apucaranense, que está na lanterna da tabela com apenas 3 pontos, precisa vencer a Cipauto/Romera, que é líder da chave com 6 pontos, para se manter viva na competição. Se perder, estará sem chances de classificação para a próxima fase. No sábado passado, o Apucarana perdeu de 6 a 4, em Castro, para o Nano/Castro.

continua após publicidade


Sabendo do poderio do adversário e da necessidade de uma vitória na rodada de hoje, o técnico Éder Cavalini intensificou os treinamentos durante a semana, visando corrigir erros de partidas anteriores e buscar o equilíbrio do time para este confronto contra a Cipauto/Romera. “Nós não temos outra saída, é ganhar ou ganhar, e é com este espírito de luta que vamos para este jogo contra o time de Toledo”, disse ontem o técnico Éder Cavalini.

continua após publicidade


Para o confronto de hoje, o técnico conta com o retorno dos atletas Silvinho e Marcelo Rui, que cumpriram suspensão automática na partida anterior. O técnico só tem uma dúvida para escalar o time que enfrenta a Cipauto/Romera. Celinho encontra-se machucado e ainda não se sabe se terá condições de jogo. Se não puder, será substituído por Diogo. A mais provável equipe que joga hoje é Júlio, Marcelo Rui, China, Ike e Celinho (Diogo).


Os torcedores terão entrada franca hoje no Lagoão. Para Cavalini, é importante que a torcida comparece em massa para empurrar o Apucarana rumo à vitória. Ele lembra que lá em Castro, no sábado passado, mais de 500 pessoas foram ao ginásio torcer pelo Nano/Castro. “Aqui temos que fazer o mesmo”, diz.