Esportes

Seleção brasileira vence amistoso com gol de Hulk

Da Redação ·
Seleção brasileira vence amistoso com gol de Hulk - Wagner Az/Farme/Estadão Conteúdo
Seleção brasileira vence amistoso com gol de Hulk - Wagner Az/Farme/Estadão Conteúdo

GUILHERME YOSHIDA
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Com Neymar no banco de reservas e entrando somente a dez minutos do fim do jogo, o Brasil venceu a Costa Rica por 1 a 0 na tarde deste sábado (05), em amistoso realizado em Nova Jersey, nos Estados Unidos.

Quando o camisa 10 entrou em campo, o Brasil já vencia o duelo com um gol marcado por Hulk ainda no começo do confronto que valeu como o penúltimo teste da seleção brasileira antes de estrear nas eliminatórias para a Copa da Rússia, em 2018.

O time nacional estreia no torneio que dá vaga para o Mundial no próximo dia 8 de outubro contra o Chile, em Santiago. Antes, faz outro amistoso, contra os EUA, em Foxborough (Massachusetts), na próxima terça-feira (8).

A partida também marcou um ano da segunda era do técnico Dunga à frente da seleção. Agora, com 15 partidas no retorno, o treinador gaúcho conquistou 13 vitórias, um empate e uma derrota.

Substituto de Neymar, Lucas Lima fez boa partida individualmente e foi, ao lado de Douglas Costa, um dos melhores em campo. Apesar disso, a seleção brasileira teve fraca atuação coletiva, com muitos erros nos passes e dificuldades na saída de bola.

O JOGO
Apesar da maior posse de bola e do domínio no jogo, o Brasil sentiu muito a falta de entrosamento e pouco produziu no campo de ataque devido aos muitos erros nos passes no primeiro tempo.

Mesmo sem Neymar, a seleção brasileira foi mantida pelo técnico Dunga no 4-2-3-1, com Fernandinho e Luiz Gustavo de volantes, Douglas Costa (pela esquerda), Lucas Lima (centralizado) e Willian (pela direita) formando a linha dos três meias, deixando Hulk mais à frente, como centroavante.

Apesar da boa movimentação de Lucas Lima, o time nacional teve as mesmas dificuldades de outros jogos em fazer a transição da defesa para o ataque trocando passes. Com isso, abusou muito dos lançamentos longos para os meias abertos (Willian e Douglas Costa) e para o atacante Hulk, o que facilitou a marcação costarriquenha.

A exceção aconteceu somente aos 9min, quando o Brasil conseguiu abrir o placar graças à força física de Hulk. Após lançamento nas costas da defesa da Costa Rica, o camisa 21 ganhou no corpo a jogada com o zagueiro González e, na saída do goleiro, chutou no canto para fazer 1 a 0.

Depois do gol, a seleção brasileira adotou uma postura mais defensiva para atuar nos contra-ataques, assim como visto na Copa América, mas permitiu a Costa Rica, mesmo inferior tecnicamente, ter mais presença ofensiva até o intervalo. O goleiro Marcelo Grohe, no entanto, não foi exigido.

No segundo tempo, o Brasil manteve a proposta de marcar atrás da linha do meio de campo para retomar a posse de bola em contra-ataque. O que não funcionou. E o cenário só não piorou porque a arbitragem errou ao alegar impedimento no gol de Bryan Ruiz, que estava em posição legal.

Apenas o lado esquerdo, com Marcelo e Douglas Costa, a equipe brasileira conseguia criar algumas jogadas no ataque. Aos 14min, após jogada entre ambos, Willian perdeu gol feito após cruzamento.

Dunga tentou melhorar a seleção brasileira com as entradas de Kaká, Philippe Coutinho e Elias nos lugares de Hulk, Lucas Lima e Fernandinho, respectivamente. Depois, Lucas Moura também veio a campo.

Com isso, o time brasileiro melhorou em campo e voltou a ter mais posse de bola. E, por pouco, o Brasil não ampliou com Douglas Costa, que parou nas mãos do goleiro Pemberton. Minutos depois, o jogador do Bayern de Munique anotaria um gol legal, anulado pela arbitragem.
No fim, Neymar entrou em campo e o Brasil pressionou ainda mais a Costa Rica até o apito final. Mas, sem conseguir ampliar o placar.

continua após publicidade