Facebook Img Logo
Mais lidas
Esportes

Prazo para contraproposta dá brecha para São Paulo barrar saída de Pato

.

CAMILA MATTOSO
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Uma cláusula no contrato de empréstimo de Alexandre Pato do Corinthians para o São Paulo pode barrar a saída do jogador, caso uma proposta de um clube europeu chegue entre esta segunda (31) e terça-feira (1). No documento, assinado em fevereiro do ano passado, o São Paulo tem direito de preferência da aquisição dos direitos federativos, podendo se manifestar em até 48 horas após ter em mãos a cópia da proposta ao atleta.
Até agora, o São Paulo não foi avisado de nenhuma proposta oficial. A diretoria do Corinthians trabalha com agentes na Europa para tentar negociar o jogador, que tem contrato com o clube até dezembro de 2016.
A janela de transferências -período em que clubes podem inscrever novos atletas- fecha nesta segunda-feira (31) na maioria dos países da Europa. Já na Inglaterra, o prazo vai até esta terça-feira (1). Sendo assim, o Corinthians já não teria tempo suficiente para cumprir o prazo previsto em contrato para dar direito ao São Paulo de apresentar uma contraproposta.
A reportagem teve acesso ao contrato de empréstimo entre o atacante e os times tricolor e alvinegro. O salário mensal de Pato é de R$ 800 mil, dividido entre R$ 500 mil de direitos de imagem e R$ 300 de CLT, que atualmente é pago da seguinte forma: R$ 400 mil por cada um dos clubes (sendo que o Corinthians só paga a parte de imagem, no qual não há impostos).
A empresa Sil Serviços de Imagem Internacionais era quem recebia os direitos de imagem, antes de rescindir o contrato - uma nova empresa deve assumir o posto, o que não aconteceu até o momento.
No item 3.1 do contrato de empréstimo de Pato para o São Paulo está escrito que há prazo de 48 horas para o tricolor apresentar uma contraproposta em caso de oferta de um clube do exterior para levar o atacante. O Corinthians é obrigado a apresentar formalmente a proposta ao rival, assim que ela aparecer, e o São Paulo tem preferência de compra, pelo mesmo valor, desde que manifeste o interesse no prazo de dois dias, após o recebimento da cópia da proposta.
Procurados pela reportagem, dirigentes de São Paulo e Corinthians informaram que não se manifestariam sobre o caso enquanto não houvesse uma proposta oficial para a saída de Alexandre Pato.
LUCRO ZERO
Uma possível venda de Pato para o exterior não deverá trazer lucro para o São Paulo. De acordo com o contrato, uma transferência do atacante só seria rentável ao time do Morumbi em dois casos: se a venda acontecesse na janela de transferência de 2014 -o São Paulo teria 10% do valor total da venda- e se a venda for em 2015 e ultrapassar o valor de 17 milhões de euros (aproximadamente R$ 70 milhões), , o que é considerado praticamente impossível por trabalha para fechar o negócio.
No acordo, são estipulados dois valores mínimos para o São Paulo aceitar a saída do jogador. Até 2014 era 15 milhões de euros (R$ 61 milhões). A partir de 2015, o mínimo caiu para 10 milhões de euros (R$ 41 milhões). Em ambos os casos, o tricolor tem direito a fazer uma contraproposta.




O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

mais notícias

Últimas de Esportes

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber