Facebook Img Logo
  1. Banner
Mais lidas
Esportes

Federação de vela pede teste diário de água da baía de Guanabara

.

ITALO NOGUEIRA
RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - O chefe de competição da Isaf (Federação Internacional de Vela), Alastair Fox, afirmou nesta sexta-feira (14) que pediu teste de qualidade diário durante o evento-teste da Olimpíada da competição de vela.
O secretário estadual do Ambiente, André Corrêa, afirmou que a pasta tem uma rotina semanal, com testes toda quinta-feira.
O governo estadual, junto com o comitê organizador, fez uma reunião com os chefes de equipe das principais equipes para detalhar a qualidade da água da baía.
A qualidade da água é alvo de questionamento desde a escolha do Rio como sede da Olimpíada. No mês passado, reportagem da AP (Associated Press) mostrou que os níveis de vírus presentes nos locais de competição da baía eram altos.
O COI (Comitê Olímpico Internacional) afirmou que as águas nas raias de competição são seguras. A presidente da comissão de coordenação do COI para os Jogos de 2016, a marroquina Nawal El Moutawakel, prometeu mergulhar na baía na Olimpíada.
"Ficou muito claro [na apresentação] que todas as partes querem ser transparentes. Os times estão pedindo isso. Pedimos mais coleta de informações [sobre a qualidade da água], com coleta diária nas raias da baía", disse Fox.
O representante da Isaf afirmou que o evento-teste é o momento ideal "para cometer erros". "Assim, podemos identificá-los e corrigi-los".
Os ecobarcos que "varrem" o espelho d'água -e evitar prejuízo da competição- contam com o apoio de helicópteros, de onde agentes apontam eventuais locais com sujeiras.
Três atletas que participaram da coletiva afirmaram que, ao longo dos dois anos de treinamento na baía, nunca ficaram doentes. Eles reconheceram que a água não é a melhor, mas que é possível competir na baía.
"Temos muitos lugares piores e melhores do que o Rio. Em Pequim, houve dias que não podíamos sequer treinar por causa das algas. A poluição é um problema que acontece em todo mundo e que temos que lutar para melhorar", disse o francês Jonathon Lobert, medalhista de bronze em Londres-12 na classe Finn.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Edhucca

Últimas de Esportes

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber