Facebook Img Logo
Mais lidas
Esportes

Eleição para sucessor de Blatter na Fifa será dia 26 de fevereiro

.

LEANDRO COLON, ENVIADO ESPECIAL
ZURIQUE, SUÍÇA (FOLHAPRESS) - A eleição para escolher o sucessor de Joseph Blatter na presidência da Fifa será realizada no dia 26 de fevereiro de 2016.
A decisão foi anunciada nesta segunda (20) pelo Comitê Executivo, que se reuniu em Zurique para discutir o assunto.
Blatter anunciou no dia 2 de junho a renúncia ao cargo para o qual havia sido reeleito quatro dias antes. No posto desde 1998, ele decidiu deixar a presidência em meio ao escândalo que levou à prisão de sete cartolas em Zurique durante o congresso que o elegeu. 
Formado por 27 membros, o Comitê Executivo, colegiado máximo da entidade, foi convocado em caráter extraordinário para organizar o processo eleitoral. Integram o comitê os dirigentes das confederações continentais e alguns representantes de federações -o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, membro do órgão, não compareceu.
O encontro na sede da Fifa foi o primeiro após o gesto de Blatter, pressionado a sair por causa das investigações nos EUA e na Suíça sobre possíveis esquemas de corrupção envolvendo a entidade.
Com a data da eleição escolhida, começa agora a corrida para a definição dos candidatos. Adversária de Blatter, a Uefa, que dirige o futebol europeu, quer aproveitar a chance para retomar o poder perdido em 1974, quando o brasileiro João Havelange tirou o inglês Stanley Rous do cargo que ocupava desde 1961.
O presidente da Uefa, o francês Michel Platini, é sempre uma aposta, mas ele pode abrir mão se surgir uma força capaz de agregar entre as 209 federações filiadas à Fifa com direito a voto.
Apoiado pelos europeus na eleição vencida em maio por Blatter, o príncipe da Jordânia Ali bin Al-Hussein almeja disputar novamente, mas perdeu fôlego e suporte entre os cartolas.
Blatter deve tentar eleger seu sucessor com o apoio das federações asiáticas e africanas, historicamente aliadas do cartola suíço. 
BRASIL ISOLADO
Com a decisão do presidente da CBF de não viajar à Suíça, a reunião desta segunda, considerada uma das mais importantes da história da Fifa, não teve representante brasileiro. Del Nero evita deixar o Brasil desde que abandonou congresso da entidade em maio, após a prisão de sete cartolas, entre eles o seu antecessor, José Maria Marin.
Naquele dia, a Folha de S.Paulo publicou indícios na investigação do Departamento de Justiça dos EUA de que Del Nero teria recebido propina.
A postura do cartola da CBF tem causado perplexidade entre os colegas na Suíça. O gesto reflete, na prática, no isolamento da CBF e do futebol brasileiro nos bastidores. Ao mesmo tempo, mostra um enfraquecimento da Conmebol, que dirige o futebol sul-americano. 
Enquanto o atual presidente da CBF falta às reuniões da Fifa, o seu antecessor segue preso em Zurique à espera do processo de extradição aos EUA.
Há pelo menos duas investigações em curso que envolvem a Fifa. Uma está nos EUA, levou à prisão dos cartolas e envolve um esquema de mais de US$ 100 milhões (R$ 318 milhões) ligado a direitos de competições esportivas. 
A outra é tocada pelo Ministério Público da Suíça, focada nas suspeitas de compra de votos para as Copas de 2018 (Rússia) e 2022 (Qatar).
Blatter tem sido cobrado por patrocinadores a implementar reformas para resgatar a imagem da Fifa. Empresas como a Coca-Cola pedem a formação de uma comissão independente para cuidar das mudanças -o nome do ex-secretário-geral da ONU Kofi Annan chegou a ser mencionado pelos patrocinadores na semana passada como alternativa para comandar uma eventual comissão.




O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

mais notícias

Últimas de Esportes

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber