Mais lidas
Esportes

Hamilton ganha quase R$ 5 mi por GP na F-1 e perde para Alonso e Vettel

.

TATIANA CUNHA
MÔNACO (FOLHAPRESS) - Foram meses de negociação, idas e vindas de dezenas de páginas de documentos, cláusulas reescritas e intermináveis horas de conversas.
E na quarta-feira (20) a Mercedes enfim pôde anunciar a renovação do contrato com Lewis Hamilton por mais três temporadas, um dia antes do início dos treinos livres para o GP de Mônaco, etapa mais tradicional do calendário da F-1.
E, pelos valores do acordo, a escolha do local para o anúncio não podia ter sido mais adequada.
Pelo novo contrato, o bicampeão mundial deve receber um salário anual de cerca de US$ 30 milhões (aproximadamente R$ 90,8 milhões), mais bônus por vitórias e títulos, o que pode revelar este valor para cerca de US$ 40 milhões. 
Por corrida, o inglês receberá aproximadamente R$ 5 milhões. O Mundial de F-1 deste ano tem 19 etapas.
Mas apesar das cifras elevadas, Hamilton continua atrás de Sebastian Vettel e Fernando Alonso neste quesito.
Estima-se que o tetracampeão receba cerca de US$ 50 milhões anuais da Ferrari, enquanto Alonso ganhe aproximadamente US$ 40 milhões da McLaren.
"Penso todos os dias o quão longe eu cheguei. Quando acordo e abro a varanda do meu apartamento aqui em Mônaco e lembro da minha infância, sempre penso o quão louco tudo isso é para mim. Mas a verdade é que nada realmente mudou, apenas o fato de hoje eu poder fazer mais coisas. E o de eu ter o trabalho mais legal do mundo", afirmou Hamilton.
Apesar da demora em assinar o novo acordo, já que as negociações tiveram início ainda no ano passado, Hamilton disse que não chegou a conversar com nenhuma outra equipe e que foi uma decisão fácil de ser tomada.
"Como eu tinha contrato até o fim deste ano eu fiz as coisas sem pressa. Foi a primeira vez que eu mesmo negociei tudo, então tive que estudar muita coisa para ter certeza que tinha entendido tudo. E ainda ganhei meus 10% [de comissão], então foi ótimo", brincou o piloto inglês.
Na Mercedes desde 2013, Hamilton acumula 15 vitórias pela equipe alemã e um título mundial, conquistado no GP de Abu Dhabi do ano passado.
Para Toto Wolff, chefe do time, o mais importante na renovação com Hamilton é o fato de a Mercedes poder dar continuidade ao bom trabalho dos últimos anos.
"Continuidade é fundamental para ter sucesso na F-1 e agora acertamos isso. Renovar com Lewis era uma prioridade da equipe neste ano e demoramos o tempo necessário para que todos estivessem satisfeitos com o acordo", disse Wolff, cujo outro piloto de seu time, Nico Rosberg, também tem um contrato de longa duração assinado.
 

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber