Facebook Img Logo
  1. Banner
Mais lidas
Esportes

Dudu é suspenso por 180 dias e pode desfalcar Palmeiras no Brasileiro

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Nesta segunda-feira (18), em julgamento do Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo, o atacante Dudu, do Palmeiras, recebeu punição de 180 dias de suspensão por agressão ao árbitro Guilherme Ceretta de Lima na final do Campeonato Paulista e pode ser desfalque do Palmeiras até as últimas rodadas do Campeonato Brasileiro deste ano. Além da suspensão pela agressão, Dudu também terá que cumprir punição de um jogo no Campeonato Paulista de 2016 por conta da expulsão após confusão com o atacante Geuvânio, do Santos.
O clube ainda pode recorrer ao Pleno do TJD e, caso não fique satisfeito, ainda poderá recorrer ao STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva).
Dudu foi denunciado pelo TJD após ser citado na súmula pelo árbitro Guilherme Ceretta em razão de sua expulsão ainda no primeiro tempo do clássico contra o Santos. O árbitro relatou que o jogador palmeirense partiu em sua direção e "desferiu um golpe de forma intencional o atingindo nas costas".
De acordo com Ceretta, o jogador ainda o xingou logo após ser expulso. "Você é um safado, sem-vergonha. Veio aqui roubar a gente, seu filho da p..., mau caráter, ladrão", escreveu na súmula.
Ao longo do julgamento, Dudu disse não se lembrar de ter dirigido palavrões ao árbitro, e que só teve a intenção de chamar a atenção do árbitro para o fato de que não merecia a expulsão, que considerou "injusta."
O TJD citou o jogador nos artigos 254-A, parágrafo terceiro -se a ação for praticada contra árbitros-, que prevê pena mínima de suspensão por cento e oitenta dias, 250 -praticar ato desleal ou hostil durante a partida-, que prevê pena de uma a três partidas e suspensão, e 243-F, parágrafo primeiro -ofender alguém em sua honra-, que prevê pena mínima de quatro partidas.
Por conta da expulsão, Dudu recebeu suspensão de um jogo, a ser cumprida no próximo Campeonato Paulista. Pelos xingamentos ao árbitro, ele foi absolvido.
Apesar das tentativas do advogado do Palmeiras, André Sica, de desqualificar as atitudes do jogador a atos hostis, o TJD avaliou que o jogador agrediu de fato o árbitro da partida.
"A gente até aceita uma reclamação ou outra ao árbitro, mas no árbitro não se encosta. Usando o antebraço, ele assumiu o risco, não é uma cotovelada, mas uma braçada e não se faz isso em árbitro", disse o presidente da seção.
Além do camisa sete, o zagueiro Victor Ramos esteve na pauta do tribunal. Ele foi citado no artigo 254 -praticar jogada violenta-, que prevê suspensão de até seis partidas, e a ele foi determinada uma pena de um jogo, a ser cumprida no próximo Campeonato Paulista.
O Palmeiras também foi julgado por se atrasar para entrar em campo na final contra o Santos. O clube recebeu penalização de R$ 3.000 por minuto de atraso, totalizando R$ 48 mil de prejuízo aos cofres do Palmeiras.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Edhucca

Últimas de Esportes

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber