Esportes

​Tite defende elenco: "não tem vagabundo e mercenário aqui"

Da Redação ·
Tite aposta em Firmino como substituto de Gabriel Jesus na seleção- Foto: Divulgação
Tite aposta em Firmino como substituto de Gabriel Jesus na seleção- Foto: Divulgação

A sequência de protestos de parte da torcida do Corinthians após a eliminação nas oitavas de final da Copa Libertadores talvez seja interrompida depois da vitória deste sábado sobre a Chapecoense . Ainda que a atuação não tenha sido das melhores, o time venceu por 1 a 0 e saiu de campo aliviado por dar uma resposta principalmente àqueles que chamaram os atletas de mercenários.

continua após publicidade

Ao final da partida, o técnico Tite saiu em defesa do grupo. "Não quero, do torcedor, racionalidade. Mas a gente também tem que tomar cuidado em pontuar ao falar em 'torcida do Corinthians'. Muitos não concordam, passaram para mim um carinho muito grande. Uma coisa, eu vou falar: esse grupo não é de vagabundo, de mercenário. Isso, eu posso afirmar. Torcedor está chateado, sim, mas não tem vagabundo e mercenário aqui, não", falou.

"Não estou criticando, não, absolutamente. Tenho que compreender, mas é que tem um número tanto grande que apoia e ficou feliz por uma série de aspectos. A torcida corintiana são 30 milhões ou mais", ressalvou.

continua após publicidade

Desde quarta-feira, quando a equipe caiu em Itaquera para o paraguaio Guaraní, corintianos vinham fazendo protestos tanto no CT quanto na sede social e administrativa do clube, no Parque São Jorge. Chamados de mercenários - mesmo sem receber direitos de imagem há meses -, os jogadores foram absolvidos pelo chefe, que fez questão de desvincular o atraso da queda precoce na Libertadores.

"Temos partidas emblemáticas neste ano. Aí não teve problema financeiro?", questionou. "Fui campeão no Caxias, com três, quatro meses atrasados. Os motivos que nos levam a trabalhar são as relações pessoais, de carinho, lealdade. É claro que tem o aspecto financeiro, mas não foi esse o motivo da desclassificação. Jogamos o jogo errado lá, no Paraguai. Acontece. A melhor campanha (o Boca Juniors) vai ficar fora. E o time que apresentou o melhor futebol na fase de classificação ficou fora também".

Neste sábado, para vencer a Chapecoense, o Corinthians não precisou apresentar o mesmo futebol elogiado no começo da fase de classificação da Libertadores. Segundo Tite, nem seria possível. "Porque é um processo todo, futebol é muito complexo.

É diferente achar que se muda assim", justificou, estalando os dedos. "Primeiro, tem o adversário. Segundo, tem um resultado negativo, três dias depois você tem jogo, perde confiança. Muda peças, não tem como repetir a equipe... Quantos jogos essa equipe jogou? Calma, não pode ser imediatista".