Esportes

Depois de 398 dias, Anderson Silva retorna ao UFC com vitória

Da Redação ·
Foto: arquivo
Foto: arquivo

Após mais de um ano longe do octógono - precisamente 398 dias – o brasileiro Anderson Silva, 39 fez  seu  retorno ao octógono do UFC na madrugada deste domingo (1), em Las Vegas, nos EUA.

continua após publicidade

Recuperado de uma grave fratura na perna esquerda na revanche contra Chris Weidman no UFC 168, o Spider teve pela frente e venceu por pontos (unanimidade entre os avaliadores|) um adversário polêmico: Nick Diaz, que subiu do peso-meio-médio para o médio para enfrentar o brasileiro.

“Estou amarradão, na melhor "vibe" da minha vida. Estou feliz como se fosse a minha primeira luta no UFC”, ressaltou Anderson após a vitória, em meio a muita emoção.

continua após publicidade

Longe do octógono há bem mais tempo que Anderson Silva - não lutava há exatos 685 dias - o americano vinha, a exemplo de Anderson, de duas derrotas seguidas. Esse aspecto tornou o UFC 183 o primeiro da história do evento em que os protagonistas da luta principal vinham de derrotas consecutivas.

Mas Spider conseguiu provar que ainda está apto para continuar na ativa e que a fratura na perna é coisa do passado.


EMOÇÃO - Logo após o anúncio do resultado, fortemente emocionado, Anderson se deitou no chão e foi ajudado a levantar pelo rival. "É um momento importante para mim, para minha família e para todos os brasileiros. Por tudo que sofri este ano e cheguei a achar que não ia voltar a lutar no começo", festejou

Anderson após a luta, que ao aplicar vários chutes com a perna esquerda, demonstrou que está plenamente recuperada da fratura que sofreu em sua luta anterior, contra Chris Weidman. "Obrigado a minha família, a meus filhos e amigos."E também agradeceu a Diaz "pela oportunidade". 

Desde o início do combate, o "Bad Boy" Diaz provocou o brasileiro. Falou "vamos lá" para Anderson, chamou com gestos o brasileiro para que o atacasse, baixou a guarda e até chegou a se deitar. Fugindo de suas características, Diaz deixou que o brasileiro tomasse a iniciativa no primeiro assalto que teve boa troca de golpes e no qual Anderson já arriscou chutar com a perna esquerda.

Com informações da Folha Press