Esportes

Brasil é ouro, prata e bronze na ginástica rítmica

Da Redação ·
 Angélica Kvieczynski foi medalha de prata nos quatro aparelhos disputados (bola, corda, fita e arco), atrás apenas de Aliya Garayeva, do Azerbaijão
fonte: Foto por Divulgação
Angélica Kvieczynski foi medalha de prata nos quatro aparelhos disputados (bola, corda, fita e arco), atrás apenas de Aliya Garayeva, do Azerbaijão

O Meeting Internacional de Ginástica Rítmica teve as disputas por aparelhos neste domingo (4), no ginásio poliesportivo de São Bernardo. A brasileira Angélica Kvieczynski competiu nos quatro aparelhos (bola, corda, fita e arco) e foi prata em todos, atrás de Aliya Garayeva, do Azerbaijão – sexta no geral na Olimpíada de Pequim-2008.

continua após publicidade

Na competição individual, a brasileira Eliane Sampaio foi bronze na corda e na fita, e quarta colocada no arco. Drielly Daltoé, também do Brasil, ficou em quarto lugar na bola. Eliane Sampaio foi bronze na corda e na fita.

continua após publicidade

Angélica concluiu sua participação satisfeita com as três medalhas de prata.

continua após publicidade

- Gostei muito do que apresentei, especialmente no arco, mas preciso melhorar para o Mundial de Moscou, em setembro.

Bronze na corda e na fita, Eliane Sampaio se emocionou com a torcida.

continua após publicidade

- Foi muito bom ter o povo torcendo por nós. E acredito que nós três, do individual, representamos muito bem o Brasil, conquistando ótimos resultados.

continua após publicidade

Drielly Daltoé, quarta colocada na bola, fez sua estréia em competições pela CBGin (Confederação Brasileira de Ginástica).

continua após publicidade

- Tenho 16 anos e passei a fazer parte da equipe adulta em 2010. Por isso, fiquei bem contente com o resultado, já que competi com ginastas mais experientes.

No conjunto, o Brasil conquistou duas medalhas de ouro. No arco, com Luísa Matsuo, Ana Paula Scheffer, Ana Paula Ribeiro, Jéssica Maier e Letícia Dutra. Na apresentação de três fitas e duas cordas, o Brasil teve Luísa, Ana Scheffer, Ana Ribeiro, Letícia Dutra e Ana Paula Alencar.

Para a capitã do Brasil, Luísa Matsuo, a competição em São Bernardo foi importante para o amadurecimento da equipe.