Esportes

Volta de Tite pode dar nova chance a Sheik

Da Redação ·
) atacanteEmerson Sheik espera pelo anúncio do Timão para decidir seu futuro - Foto: Arquivo/Agências
) atacanteEmerson Sheik espera pelo anúncio do Timão para decidir seu futuro - Foto: Arquivo/Agências

Não é só a torcida do Corinthians que aguarda ansiosamente a escolha do novo treinador. Herói do título da Libertadores de 2012, o atacanteEmerson também espera pelo anúncio do Timão para decidir seu futuro. Se Tite for mesmo confirmado na vaga, as chances de o jogador ser reintegrado ao elenco aumentam consideravelmente.

Apesar de alguns deslizes cometidos por Sheik, principalmente atrasos nos treinamentos, técnico e jogador sempre se entenderam muito bem. Tite via Emerson como um atleta decisivo nos momentos de pressão e, por isso, tolerava os problemas fora de campo. E tinha razão. Dos pés dele saíram os dois gols e uma atuação de gala na final do torneio sul-americano, contra o Boca Juniors, no Pacaembu. 

A nova oportunidade dependerá de uma conversa franca. Se nenhuma grande oferta surgir neste fim de ano, Emerson terá de se apresentar com o restante do elenco no dia 5 de janeiro. Dirigentes e integrantes da comissão técnica querem sentir se Sheik ainda está motivado a atuar em alto nível e brigar por títulos. A preocupação do clube é com o início de ano turbulento. Nos dias 4 e 11 de fevereiro, o Corinthians disputará a fase prévia da Taça Libertadores contra uma equipe colombiana.

Tite e a diretoria sabem bem das dificuldades. Em 2011, o Timão foi eliminado do torneio logo de cara ao perder para o até então desconhecido Deportes Tolima, também da Colômbia.  Outro fator que pode ser determinante para a nova chance é a falta de atacantes no elenco. O Corinthians sofreu em 2014 com opções que não renderam o esperado. Luciano e Romero alternaram bons e maus momentos e acabaram perdendo espaço para o garoto Malcom. Guerrero tem contrato só até o meio do ano e ainda não chegou a um acordo para renovar.

O Timão negocia com Leandro, destaque da Chapecoense, e sonha com Dudu, que brilhou no Grêmio. Emerson, aliás, foi um dos exemplos da atual diretoria para tirar Tite do cargo no fim de 2013. O presidente Mário Gobbi considerava que o treinador era muito ligado ao elenco campeão mundial e não conseguiria fazer a reformulação necessária. Por isso, optou por trocá-lo por Mano Menezes, causando um racha político. 

Sheik e Mano entraram em atrito rapidamente, e o jogador perdeu espaço no grupo. Acabou emprestado ao Botafogo para disputar o Campeonato Brasileiro, mas, em meio à crise do clube, foi dispensado. Como tem contrato com o Timão até o fim de julho de 2015, ele terá de se reapresentar. Com Tite no cargo, a chance de ficar só aumenta.


Autoria/fonte: Carlos Augusto Ferrari/globoesporte.globo.com

continua após publicidade