Esportes

Falta de padrinhos teria sido determinante para tirar Mano do Corinthians

Da Redação ·
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Sete rodadas do Campeonato Brasileiro e eleições para presidente ainda podem mudar muitas coisas, mas o momento de Mano Menezes no que diz respeito à permanência no Corinthians para a próxima temporada é extremamente delicado. Entre os que decidirão sobre o comando técnico em 2015, não há quem defenda sua renovação de contrato.

continua após publicidade

Principal defensor do treinador desde a passagem anterior pelo clube, Mário Gobbi terá papel menor na decisão que deve ser tomada pela próxima diretoria. Na situação, o nome de Tite é praticamente unânime como o substituto ideal. Seja pelo provável diretor de futebol, ex-presidente Andrés Sanchez, seja para Roberto de Andrade, candidato a sucessão.

Antes mesmo de definir sobre quem seria o treinador para 2014, com Tite no cargo, Gobbi acertou pessoalmente o retorno de Mano Menezes para o Corinthians. A medida do presidente teve dois efeitos: fragilizou e magoou Tite, além de causar insatisfação em Roberto de Andrade e Andrés Sanchez.

continua após publicidade

Muito próximo ao presidente, Mano Menezes é considerado excessivamente centralizador no departamento de futebol do Corinthians. Membros da comissão técnica se queixam de seu estilo fechado, bem menos democrático em relação ao Mano que comandou a equipe entre 2008 e 2010. A relação de confidência apenas com o auxiliar Sidnei Lobo gera ciúmes.

Sob o comando do treinador, o papel do gerente de futebol Edu Gaspar também perdeu importância no dia a dia da equipe. Durante as discussões para a temporada 2014, Edu defendia que Oswaldo de Oliveira fosse o nome contratado. Hoje, ele está mais preso ao próximo ano, seja na busca por reforços e na pré-temporada em Orlando, nos Estados Unidos.

Já entre a oposição, que tem Paulo Garcia como candidato definido, vários nomes são debatidos sem que haja um consenso. Mano Menezes, porém, não está entre os favoritos também deste lado. Garcia já citou Vanderlei Luxemburgo como um nome de sua preferência, mas há correntes por um treinador mais barato. Mano tem o maior salário da classe atualmente no Brasil.

Com informações de UOL - Confira matéria completa AQUI