Esportes

Hostilizado pela torcida gremista, Aranha desabafa e fala sobre Patrícia

Da Redação ·
Hostilizado pela torcida gremista, Aranha desabafa
fonte: Fonte: Divulgação Santos FC
Hostilizado pela torcida gremista, Aranha desabafa

Na noite da última quinta-feira não houve xingamentos racistas, mas houve hostilidade. Vaiado desde o instante em que subiu ao gramado para realizar o aquecimento, o goleiro Aranha foi vaiado pela torcida gremista no reencontro do arqueiro no palco onde foi chamado de "macaco" por Patrícia Moreira, torcedora flagrada pelas câmeras de tv.

Ao final da partida, que se encerrou em 0 a 0, Aranha foi muito questionado pela imprensa sobre a sensação de voltar ao estádio que, em meados de agosto. Na oportunidade, o goleiro do Santos afirmou que nunca havia se sentido tão mal em um jogo de futebol. Aranha criticou ainda a torcida, que em sua visão, parecia apoiar as ofensas proferidas ao jogador. 

 

continua após publicidade
confira também



"Nunca me senti tão mal jogando em um lugar como me senti hoje. Cobraram o perdão, mas não tem como perdoar um pessoal desse. Muita gente morreu, muita gente sofreu, muita gente lutou bastante pelos direitos. Fazer o quê? Paciência. Eu vim, joguei futebol, dei o meu melhor, lutamos. Tudo o que aconteceu era tudo o que se esperava. Eu, sinceramente, esperava ser recebido de outra maneira, porque acreditava que a grande maioria do torcedor gremista tinha repudiado, mas, pelo que vi hoje, eles concordam". 

Sobre Patrícia, que também não foi poupada das críticas, Aranha disse que a garota tem se prejudicado a cada aparição na tv. "Uma coisa é perdoar, abraçar. Ela está indo nos programas de televisão se explicar e cada vez piora a situação. A primeira coisa que faz é se explicar. Tentou chorar e não conseguiu. Uma coisa que não tem necessidade", disse o goleiro.

Revelando sua mágoa, o arqueiro disse que não se importa com as vaias, desde que as mesmas sejam pelo esporte. "Fiquei triste porque deu para perceber bem qual é o pensamento do torcedor gremista, da grande maioria que apoiou o ato. Não foi só a garota (Patrícia Moreira). Ela está pagando mais porque foi ela que apareceu (na TV). Tinha muita gente contra minha atitude. A única coisa que fiz foi relatar para o árbitro (as ofensas), coisa que está na lei, na regra. Muita gente sofreu para que hoje isso estivesse na lei. A punição às vezes serve para isso. Eu não ligo para as vaias, para manifestação do torcedor, desde que seja do esporte. E a gente, sem ser hipócrita, sabe que a vaia hoje foi diferente", completou.

Autoria/fonte: 
Paty Monah/futnet.com.br