Esportes

Gremista acusada de racismo põe casa para alugar e evita Porto Alegre

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Gremista acusada de racismo põe casa para alugar e evita Porto Alegre
fonte: Foto: Divulgação
Gremista acusada de racismo põe casa para alugar e evita Porto Alegre

Patrícia Moreira não quer mais voltar para Porto Alegre. A jovem de 23 anos flagrada em atos racistas contra o goleiro Aranha, do Santos, no jogo entre as duas equipes pela Copa do Brasil no último dia 28, colocou a residência onde morava para alugar e tenta recomeçar a vida o mais longe possível da repercussão do caso, que ainda a acompanha.

continua após publicidade

Patrícia, segundo seu advogado, Alexandre Rossato, precisou de ajuda médica, sofreu muito esteve abalada com tudo que sucedeu a partida de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. Na ocasião, a moça fez algo que era comum nos dias de jogo do Tricolor, foi sozinha à Arena para acompanhar a partida na arquibancada norte, local onde o ingresso é mais barato.

Mas, irritada pelo resultado adverso de 2 a 0, chamou o camisa 1 santista de 'macaco' repetidamente, foi flagrada pelas câmeras de transmissão da partida e as imagens rodaram o mundo. Desde então, a vida jamais foi a mesma.

continua após publicidade

Primeiro ela, que morava sozinha em residência de esquina no bairro Passo das Pedras, zona norte de Porto Alegre, 'fugiu' da cidade. Acompanhada dos irmãos, deixou a capital gaúcha para evitar contato com a imprensa. A casa, então, permaneceu fechada por dias.

Na data marcada pela polícia ela depôs, admitiu os xingamentos, negou racismo. Dias depois concedeu entrevista coletiva e mais tarde ainda, até esteve nos estúdios da Rede Globo participando do programa Encontro com Fátima Bernardes.

"Ela perdeu o contexto, perdeu a vida dela. Já foi julgada pela sociedade, mesmo sem ser julgada na Justiça", afirmou o advogado.

continua após publicidade

E sem tal contexto, resolveu colocar para alugar a casa que havia sido dos pais. Mas acabou ficando apenas para ela com os casamentos dos irmãos, a morte do pai e a busca da mãe pela retomada da vida com novo casamento.

O local, porém, precisará passar por reformas. Na madrugada de sexta-feira, Elton Grais, que é vizinho de Patrícia, tentou incendiar a residência. Detido,o homem de 28 anos admitiu o ato de vandalismo e disse que 'estava com nojo' da gremista. Com passagens anteriores na polícia por tráfico de drogas e porte ilegal de armas, ele teve prisão preventiva decretada.