Esportes

Torcedora que chamou Aranha de "macaco" é afastada do trabalho

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Torcedora que chamou Aranha de "macaco" é afastada do trabalho
fonte:
Torcedora que chamou Aranha de "macaco" é afastada do trabalho

SÃO PAULO, SP - A torcedora gremista Patrícia Moreira foi afastada de seu trabalho em Porto Alegre (RS) após ter sido identificada como autora de xingamentos racistas durante a partida entre Grêmio e Santos, na quinta-feira (28), em Porto Alegre.

continua após publicidade

Patrícia é auxiliar de saúde bucal e trabalhava no Centro Odontológico da Brigada Militar, a PM gaúcha. Ela foi filmada enquanto aparentemente gritava "macaco" ao goleiro Aranha, durante a partida da Copa do Brasil.

O diretor do Centro Odontológico, major Régis Reche, solicitou a substituição assim que soube do fato.

continua após publicidade

Segundo a Brigada Militar, ela não é funcionária concursada e trabalha em uma empresa que presta serviço terceirizado. A Brigada não informou o nome da empresa onde Patrícia é contratada.

O promotor José Seabra Mendes Júnior, da Promotoria do Torcedor, requisitou a abertura de um inquérito policial na 4º Delegacia de Polícia para apurar autoria de crime de racismo ou injúria racial.

Em março, o Ministério Público cobrou um plano de ação da Federação Gaúcha de Futebol em casos de racismo.

continua após publicidade

A cobrança partiu após as ofensas ao árbitro Márcio Chagas, no dia 5 de março, no estádio Montanha dos Vinhedos, em Bento Gonçalves (a 100 km de Porto Alegre).

No mês seguinte, José Seabra Mendes Júnior também solicitou um inquérito por atos racistas praticados pela torcida do Grêmio contra o zagueiro Paulão, do Inter, em uma partida na Arena em 30 de março.