Esportes

Rosberg vence na Alemanha e segue líder; Massa bate

Da Redação ·
 Com capacete em homenagem ao tetra da seleção, Rosberg vence GP da Alemanha (Foto: Reuters)
fonte:
Com capacete em homenagem ao tetra da seleção, Rosberg vence GP da Alemanha (Foto: Reuters)


Na disputa interna da Mercedes, foi a vez de Nico Rosberg vencer em casa neste domingo, no GP da Alemanha de Fórmula 1, assim como fizera Lewis Hamilton na Inglaterra, há duas semanas. De ponta a ponta, o piloto alemão conquistou sua quarta vitória na temporada e sustentou a primeira colocação do campeonato, seguido de perto pelo companheiro de equipe, que foi o terceiro no Circuito de Hockenheim. O finlandês Valtteri Bottas chegou em segundo. Felipe Massa, seu companheiro de Williams, bateu na largada e não completou a prova.

O triunfo levou Rosberg a 190 pontos, 14 à frente de Hamilton. Os dois pilotos vêm protagonizando a briga pelo título, com larga vantagem sobre os demais. A sequência de vitórias dos dois pilotos da Mercedes só foi quebrada por Daniel Ricciardo, no Canadá. Depois, Rosberg venceu na Áustria, Hamilton, em Silverstone, e o alemão, em Hockenheim, neste domingo.

Apesar da vitória de Rosberg, o grande destaque da prova foi mesmo Hamilton. O inglês largou em 20º após ter problemas no treino classificatório e trocar a caixa de câmbio. Em uma corrida de recuperação, ele empilhou diversas ultrapassagens e, apesar de três paradas nos boxes, colou nos líderes e esteve perto de desbancar Bottas nas voltas finais.

Felipe Massa não conseguiu mais uma vez completar ao menos uma volta neste domingo, como aconteceu no GP da Inglaterra, em Silverstone, na etapa anterior. Ele largou em terceiro e na primeira curva disputou com o dinamarquês Kevin Magnussen na tentativa de manter sua posição. Na disputa, houve choque entre os pilotos e o brasileiro levou a pior. Os comissários investigaram a batida, sem aplicar punições.

A CORRIDA - Felipe Massa esteve envolvido novamente em um acidente na primeira volta. Desta vez, o choque aconteceu logo na curva inicial do traçado e houve menos estrago na pista, ao contrário do que aconteceu em Silverstone, na etapa passada. Somente o brasileiro deixou a prova, que contou com a entrada do safety car na pista.

Após sua saída, a corrida foi retomada logo na segunda volta, com Rosberg na ponta, seguido de Bottas e Sebastian Vettel, o mais beneficiado pelo choque da largada. Ele subiu três posições, incluindo a do companheiro Daniel Ricciardo, que precisou escapar da batida para seguir na pista.

O acidente também beneficiou Hamilton, que largou em 20º e se manteve próximo do pelotão intermediário com o safety car na pista. Com a prova liberada, o inglês disparou a fazer ultrapassagens em série. Na volta 11, já figurava em 10º lugar. Na sequência, protagonizou um dos melhores momentos da prova ao passar de uma só vez Ricciardo e Kimi Raikkonen. Duas voltas depois, aparecia em 5º.

O piloto da Mercedes se aproximava dos primeiros colocados quando teve início a primeira rodada de paradas nos boxes, na 13ª volta. Ele chegou a encostar em Rosberg, na segunda posição, após as trocas de pneus dos rivais. Mas logo Bottas e Vettel retomaram suas colocações quanto o britânico foi fazer sua parada, na 27ª volta.

Hamilton voltou para a pista em 8º e novamente buscou os líderes até figurar em segundo. Mas, como acontecera antes, precisou ir para boxes fazer nova troca de pneus. Retornou em 5º, enquanto Rosberg manteve a liderança após sua parada, na volta 42.

Na 50ª volta, o alemão Adrian Sutil rodou sozinho na reta da largada e ficou parado no meio da pista. Diante da expectativa da nova entrada do safety car, Hamilton correu para os boxes para fazer a terceira troca de pneus. A estratégia, contudo, falhou porque a organização da prova vetou o safety car porque poderia alterar o resultado da corrida.

Hamilton, então, caiu do terceiro para o quarto lugar, enquanto Rosberg seguia na ponta, acompanhado de Bottas e Alonso. Mas, com pneus novos, logo recuperou o posto e passou a pressionar o finlandês. O inglês reduzia a diferença para o rival a cada volta, porém sem força suficiente para fazer a ultrapassagem nas voltas finais. Foi o terceiro pódio seguido do piloto da Williams na temporada.

Os pilotos da Fórmula 1 voltam à pista já no próximo fim de semana para o GP da Hungria, no Circuito de Budapeste, no dia 27.

Confira a classificação final do GP da Alemanha:

1º - Nico Rosberg (ALE/Mercedes), em 1h33min42s914
2º - Valtteri Bottas (FIN/Williams), a 20s789
3º - Lewis Hamilton (ING/Mercedes), a 22s530
4º - Sebastian Vettel (ALE/Red Bull), a 44s014
5º - Fernando Alonso (ESP/Ferrari), a 52s467
6º - Daniel Ricciardo (AUS/Red Bull), a 52s549
7º - Nico Huelkenberg (ALE/Force India), a 1min04s178
8º - Jenson Button (ING/McLaren), a 1min24s711
9º - Kevin Magnussen (DIN/McLaren), a 1 volta
10º - Sergio Perez (MEX/Force India), a 1 volta
11º - Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari), a 1 volta
12º - Pastor Maldonado (VEN/Lotus), a 1 volta
13º - Jean-Eric Vergne (FRA/Toro Rosso), a 1 volta
14º - Esteban Gutierrez (MEX/Sauber), a 1 volta
15º - Jules Bianchi (FRA/Marussia), a 1 volta
16º - Kamui Kobayashi (JAP/Caterham), a 2 voltas
17º - Max Chilton (ING/Marussia), a 2 voltas
18º - Marcus Ericsson (SUE/Caterham), a 2 voltas

Não completaram a prova:
Felipe Massa (BRA/Williams)
Romain Grosjean (FRA/Lotus)
Daniil Kvyat (RUS/Toro Rosso)
Adrian Sutil (ALE/Sauber)

continua após publicidade