Esportes

Recordista, Klose evita dar adeus à seleção alemã

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Recordista, Klose evita dar adeus à seleção alemã
fonte: Foto: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil
Recordista, Klose evita dar adeus à seleção alemã

Ao marcar por duas vezes nesta Copa do Mundo, Miroslav Klose se tornou o maior artilheiro da história dos Mundiais, com 16 gols, ultrapassando Ronaldo, autor de 15 bolas na rede. Ao ajudar a Alemanha a se tornar tetracampeã, o atacante também poderá ter selado de maneira perfeita a sua trajetória com a camisa do time nacional. Porém, ele evitou dar adeus à seleção do país após a vitória por 1 a 0 sobre a Argentina, no último domingo, no Maracanã.

"Eu ainda não se vou continuar com a seleção. Eu levarei algumas noites para dormir pensando nisso e então tomar a decisão certa", disse o jogador de 36 anos de idade, que em 2014 jogou a sua quarta Copa do Mundo.

Ele estreou em Mundiais em 2002, quando caiu diante do Brasil de Ronaldo na final realizada no Japão. Em seguida, amargou derrotas em duas semifinais seguidas, primeiro diante da Itália em solo alemão em 2006, e depois contra a Espanha em 2010 na África do Sul. E, finalmente em 2014, pôde celebrar o título mais desejado de sua carreira.

"Isso é excelente, coroa tudo. Nós terminamos em segundo uma vez, fomos terceiro colocados duas vezes, mas este (título) é muito superior. Mas posso compreendê-lo. Sempre foi um sonho estar lá em cima (recebendo o troféu) e não apenas ficar ao redor tendo de aplaudir os outros", ressaltou Klose, para depois destacar que tinha confiança no título pela grande seleção formada para este Mundial. "As performances da equipe foram importantes, nós conseguimos manter a nossa calma porque sabíamos que tínhamos a melhor qualidade para vencer", completou.

Nesta Copa do Mundo, Klose bateu o recorde de Ronaldo ao marcar no empate por 2 a 2 com Gana, que então vencia a partida por 2 a 1, e depois ao balançar as redes na humilhante goleada por 7 a 1 aplicada sobre o Brasil, na semifinal. Com 36 anos, é muito provável que tenha disputado o seu último Mundial, mas ele ainda irá pensar se seguirá defendendo as cores do País pelo menos até 2016, quando será realizada a próxima edição da Eurocopa.

continua após publicidade