Esportes

Klose marca, passa Ronaldo e vira o maior artilheiro em Copas

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Klose marca, passa Ronaldo e vira o maior artilheiro em Copas
fonte: Foto: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil
Klose marca, passa Ronaldo e vira o maior artilheiro em Copas

SÃO PAULO, SP - O atacante Klose, 36, marcou um gol no duelo contra o Brasil e se tornou, de forma isolada, o maior artilheiro da história das Copas. Ele chegou aos 16 gols e superou Ronaldo, que era o maior goleador antes do início do Mundial.

continua após publicidade

Klose já havia marcado um gol no empate contra Gana por 2 a 2, em jogo realizado no dia 21 de junho, no Castelão, em Fortaleza.

Apenas Klose, o alemão Uwe Seeler e Pelé marcaram em quatro edições de Mundiais.

continua após publicidade

Na sua estreia, em 2002, o atual camisa 11 da Alemanha fez logo três no massacre de 8 a 0 sobre a Arábia Saudita. Anotou outro no empate por 1 a 1 com a Irlanda. E mais um na vitória por 2 a 0 sobre Camarões. Sem gols no mata-mata, foi vice-campeão, superado pelo Brasil de Ronaldo.

Klose assinalou mais dois na abertura da Copa de 2006, em casa, com triunfo de 4 a 2 sobre a Costa Rica. À sua conta pessoal, acrescentou dois contra o Equador. E marcou um gol salvador no empate por 1 a 1 nas quartas de final contra a Argentina, batida nos pênaltis.

Na largada de 2010, contribuiu uma vez no passeio de 4 a 0 sobre a Austrália. Abriu a goleada de 4 a 1 sobre a Inglaterra nas oitavas de final. Marcou outros dois no histórico placar de 4 a 0 sobre a Argentina, nas quartas.

continua após publicidade


NÚMERO DE JOGOS

Com a participação no jogo contra o Brasil, Klose chegou a 23 jogos na histórias das Copas e igualou a marca do italiano Maldini.

À frente de Klose agora estão apenas o compatriota Matthaeus, com 25.

continua após publicidade


FAMÍLIA ESPORTISTA

O hábito de Miroslav Josef Klose de fazer gols vem dos seus pais.

continua após publicidade

Josef, seu pai, descendente de alemães, foi um ofensivo jogador de futebol. Sua mãe, Barbara Jez, também balançava as redes, mas a partir de arremessos com a mão. Atuou em 82 partidas pela seleção polonesa de handebol.

Klose também herdou da família o respeito pelo esporte.

Ele já imitou sua mãe e fez gol com a mão. Mas foi honesto ao admitir para o árbitro a infração, e o lance acabou invalidado na derrota da sua Lazio por 3 a 1 diante do Napoli no Campeonato Italiano de 2012. O sincero goleador recebeu cumprimentos dos adversários e um prêmio da Federação Alemã de Futebol pelo espírito esportivo.

Não foi um ato isolado na sua carreira. No Alemão de 2005, atuando pelo Werder Bremen, ele já havia tomado a iniciativa de confessar à arbitragem que o goleiro do Arminia Bielefeld não cometera pênalti nele. A marcação e o cartão amarelo foram anulados. Isso rendeu outro prêmio a Klose, além da fama de bom caráter.

Revelado pelo Kaiserslautern, ele também atuou por Werder Bremen e Bayern de Munique antes de se transferir para a Lazio. Temido no jogo aéreo, ele é oportunista e finaliza com os dois pés. Nesta Copa, embora seja o único centroavante entre os convocados da Alemanha, fica no banco de reservas.