Esportes

Treinar Itália foi 'privilégio', diz Prandelli em carta

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Treinar Itália foi 'privilégio', diz Prandelli em carta
fonte:
Treinar Itália foi 'privilégio', diz Prandelli em carta

Antes de se apresentar ao Galatasaray, equipe turca que conta com os brasileiros Felipe Melo e Alex Telles, nesta terça-feira, o ex-treinador da Itália Cesare Prandelli deu um adeus emocionado em carta aberta à Federação Italiana de Futebol. O técnico pediu demissão da seleção europeia após a eliminação na fase de grupos da Copa do Mundo deste ano, apesar de ainda ter dois anos de contrato.

Prandelli substituiu Marcello Lippi no comando da Itália em 2010. Teve como resultados expressivos o vice-campeonato da Eurocopa de 2012, quando perdeu para a Espanha na final, e o terceiro lugar na Copa das Confederações do ano passado. "Muita coisa aconteceu nesses quatro anos, e eu gostaria de agradecer a todos que me acompanharam nesta jornada", afirmou ao site da Federação Italiana.

Apesar do mau resultado no Mundial do Brasil, o técnico garantiu que foi "um privilégio" trabalhar na seleção italiana, e se disse orgulhoso de todo o estafe da equipe. "Sei o quanto se dedicaram a essa camisa", pontuou.

Prandelli fez um agradecimento especial a Giancarlo Abete, presidente da federação que também pediu demissão após o fracasso do time e deve sair do comando do futebol italiano em agosto. "Faço um agradecimento especial ao presidente Giancarlo Abete, uma figura chave neste projeto de quatro anos. Ele sempre sabia como dizer as coisas certas para mim nos momentos certos", revelou.

O técnico terminou o comunicado dizendo: "Espero nossas experiências, tanto as positivas quanto as negativas, possam ser um ponto de partida para que o futebol no nosso país tenha o respeito e a dignidade que merece".

continua após publicidade