Esportes

Brasil joga com estádio de torcida única na África do Sul

Da Redação ·
 Trabalhadores de Johannesburgo, orgulhosos, seguram a bandeira do Brasil. A seleção brasileira foi adotada como segundo time na África do Sul
fonte: EFE
Trabalhadores de Johannesburgo, orgulhosos, seguram a bandeira do Brasil. A seleção brasileira foi adotada como segundo time na África do Sul

Os sul-africanos estão na febre brasileira. Todo mundo tem ou gostaria de ter uma blusa, uma camiseta, um boné, um chaveiro ou qualquer coisa que mostre um apoio ao time de Dunga. Essa moda deve ajudar o Brasil nesta terça-feira (15), às 15h30 (horário de Brasília) a ter uma só torcida no Ellis Park, local da partida contra Coreia do Norte.

continua após publicidade

Além dos milhares de brasileiros que lotam os hotéis em Johannesburgo, os moradores locais devem estar em peso no estádio a favor da seleção de Dunga. Apesar de serem Bafana Bafana como primeira opção, o segundo time na copa dos sul-africanos é sempre o Brasil.

continua após publicidade

Clave Seokitsa e Patrick Moyatsi, dois amigos de Pretória, cidade a 60km do estádio, dizem que a África do Sul vai fazer um bom papel no Mundial, mas o campeão será o time de Kaká e cia. Seoktisa ainda ratifica a vontade da torcida.

continua após publicidade

- Você sabe, né? Todo mundo na África do Sul vai torcer para o Brasil.

Os norte-coreanos, rivais da estreia, porém, sofrem com a falta de apoio. Hospedados em Midrand, um subúrbio de Johannesburgo, eles treinaram até agora perto de Tembisa – uma comunidade pobre da cidade – e atraíram os fãs quando chegaram. Mas, depois de tantos treinos fechados, a frustração tomou conta.

continua após publicidade

Do lado do Brasil, por mais que os últimos treinamentos tenham sido fechados até para imprensa, o técnico Dunga levou a equipe para Soweto no dia 3 de junho e fez a festa de muitos fãs no bairro.

continua após publicidade

A força da torcida brasileira é tanta entre os sul-africanos que até uma colunista do jornal local já reclamou da falta de apoio a outra nações africanas na Copa. José dos Santos, um português que mora aqui há mais de 20 anos, também mostrou uma ponta de ressentimento – ainda mais que sua seleção enfrenta a do Brasil no final da primeira fase.

- Você pode ver: aqui, todos os negros, vão torcer para o Brasil.