Esportes

Família brasileira se diz eterna torcedora da seleção argentina

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Família brasileira se diz eterna torcedora da seleção argentina
fonte: Foto: Arquivo
Família brasileira se diz eterna torcedora da seleção argentina

RIO DE JANEIRO, RJ - A família Vieira parece gostar de torcer contra a corrente: são botafoguenses, portelenses e fãs da seleção argentina. O Botafogo é o time com menos títulos entre os principais cariocas e a Portela não é campeã do carnaval do Rio desde 1984, apesar de ser a que ganhou mais vezes."O portelense é um torcedor doente, o botafoguense é um torcedor doente. Talvez tenha essa sintonia -o torcedor argentino é um torcedor apaixonado também", diz Aline, 30. Os Vieira não têm nenhum laço com a Argentina, mas sempre torceram pela seleção de Messi. "A gente torce com o coração, não tem como explicar. É amor.", diz Vitor, 28.

continua após publicidade

Eles se dizem indiferentes à seleção brasileira -têm mais simpatia pelos jogadores individualmente do que pelo time. Vitor cita o goleiro reserva Jefferson, que joga no Botafogo. "É claro que a gente quer que eles vão bem, mas se for contra a Argentina, aí não", diz Ana Fatima, mãe de Vitor e Aline. Os três membros da família Vieira foram encontrados pela reportagem em meio a um grupo de argentinos que aguardavam a chegada de sua seleção na porta do hotel onde está hospedada, no Rio. Aline trazia consigo uma carta que pretendia entregar a um dos jogadores."A gente adora o futebol argentino. Eles jogam com muita gana. A expressão no rosto do jogador argentino depois de um gol é como a de um tigre", conta Aline.

Desde então, não parou mais de torcer pela seleção argentina.

continua após publicidade

Num caderno em espiral, típico de escola, Aline coleciona fotos e reportagens da seleção argentina. Ela começou a montá-lo ainda na adolescência, nos anos 1990. Vitor diz que, quando era criança, acompanhava os jogadores argentinos que jogavam na Europa. "Naquela época não tinha nem TV a cabo, mas a gente via os jogos dos times italianos na TV aberta, e eles estavam todos lá", diz ele.

EFEITO MESSI

A família minimiza a rivalidade entre Brasil e Argentina. "O Daniel Alves joga com o Messi, é amigo dele. Não tem isso de rivalidade", diz Vitor. Ana Fatima diz achar que, antigamente, a família era mais hostilizada por torcer pela seleção argentina. "Hoje você vê um bando de menino aí andando com a camisa do Messi, e não a do Barcelona, a da Argentina, mesmo", conta ela. Sobre o jogo contra a Bósnia, Aline diz: "o jogo foi difícil, mas Messi decidiu".