Esportes

Schumacher sai do coma e deixa hospital após 6 meses

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Schumacher sai do coma e deixa hospital após 6 meses
fonte: Foto: Pietro Naj-Oleari/ European Parliament
Schumacher sai do coma e deixa hospital após 6 meses

Michael Schumacher saiu do coma e deixou o hospital em que estava internado em Grenoble, na França, nesta segunda-feira. A informação foi confirmada por Sabine Kehm, representante do heptacampeão mundial de Fórmula 1.

Por meio de um breve comunicado, a agente informou que o ex-piloto alemão ganhou alta do hospital "para continuar sua longa fase de recuperação". O texto, porém, não indicou para onde ele foi levado, assim como não relatou nenhum detalhe sobre o atual estado de saúde de um dos maiores ícones do automobilismo mundial.

Sabine Kehm ainda enfatizou: "Para o futuro, gostaríamos de pedir compreensão, uma vez que sua posterior reabilitação acontecerá distante dos olhos do público". Assim, ela deixou claro que a família seguirá com a política de privacidade adotada desde quando aconteceu o acidente.

Brigitte Polikar, porta-voz do hospital de Grenoble, informou que Schumacher deixou o local nesta segunda-feira pela manhã, acompanhado por um número indeterminado de pessoas. Assim como Kehm, porém, não forneceu maiores detalhes sobre o estado do ex-piloto.

A representante do heptacampeão mundial de F1 apenas destacou, no comunicado divulgado nesta segunda-feira, que a família do alemão "quer agradecer de forma explícita a todos os médicos, enfermeiros e terapeutas que o atenderam em Grenoble, assim como os primeiros socorristas no lugar do acidente, que fizeram um excelente trabalho nestes primeiros meses". Para completar, Kehm afirmou que "a família também quer agradecer a todas pessoas que enviaram pensamentos positivos a Michael". "Estamos certos de que isso ajudou", enfatizou.

Schumacher, de 45 anos de idade, foi internado no dia 29 de dezembro com graves lesões na cabeça poucas horas depois do acidente que sofreu nos Alpes franceses, na estação de esqui de Meribel, onde o capacete que usava chegou a rachar por causa do forte impacto que teve com uma rocha no momento da queda.

Com o alemão em estado grave, os médicos optaram por colocá-lo em coma induzido, para que seu cérebro pudesse repousar e que a inflamação e inchaço no local fossem reduzidas. Ele também foi operado para eliminação de coágulos de sangue, mas alguns deles estavam muito profundos. Por isso, ainda é uma incógnita a sua situação neurológica.

Nos últimos meses, muito poucas informações sobre o estado de saúde de Schumacher foram divulgadas. O comunicado desta segunda-feira foi o primeiro mais substancial sobre o assunto desde que Kehm informou, no início de abril, que o ex-piloto "mostrou momentos de consciência e despertar" pela primeira vez após o acidente.

Aposentado pela segunda e última vez em 2012, Schumacher ostenta um recorde 91 vitórias na Fórmula 1. O ex-piloto e sua esposa moram na Suíça e o grave acidente aconteceu quando ele esquiava ao lado do seu filho de 14 anos durante as férias nos Alpes franceses.

continua após publicidade