Esportes

África do Sul e México empatam em 1 a 1 na estreia da Copa

Da Redação ·
 Lance entre África do Sul e México
fonte: Agência Reuters
Lance entre África do Sul e México

Após estar vencendo por 1 a 0 até os 34 minutos do segundo tempo, a África do Sul cedeu o empate para o México na estreia da Copa do Mundo de 2010. O Bafana Tshabalala marcou o primeiro gol do Mundial. Pelo lado mexicano, Rafael Márquez empatou. Resultado, 1 a 1 no Soccer City.
 

continua após publicidade

DISCURSOS


A cerimônia de abertura realizada na tarde de quinta-feira foi emocionante e, nesta sexta, antes da bola rolar para a abertura da Copa do Mundo, a história se repetiu. Tudo começou no discurso emocionante do presidente da Fifa Joseph Blatter onde ele parabenizou os africanos pela organização exemplar que tiveram na preparação do Mundial.
 

continua após publicidade

Blatter destacou também a ausência de Nelson Mandela, que não comparecera ao Soccer City em decorrência do falecimento de sua neta, dizendo que o espírito do maior símbolo do país estava presente no estádio. O presidente sul-africano Jacob Zuma parafraseou o da Fifa, lamentando a ausência de Mandela.
 

Deixando a tristeza de lado, Zuma revelou o sentimento nacional em sediar a primeira Copa no continente africano, acrescentando estar muito feliz com o acontecimento e, com 90 mil pessoas e o mundo inteiro esperando o pontapé inicial, ele finalizara: "Chegou a hora da África. É com muita honra que abro a Copa do Mundo oficialmente".

continua após publicidade

O JOGO

Toda a preparação valeu bem mais a pena assistir do que a etapa inicial de África do Sul e México. Os visitantes começaram melhor a partida e, logo aos dois minutos, Giovani dos Santos quase marcou o primeiro gol da Copa do Mundo de 2010. Após bate-rebate na área, o atacante ficou com o rebote, mas foi travado na hora de concluir.
 

Este era apenas o presságio de Gio em campo, pois sem dúvidas ele fora o homem mais perigoso nos primeiros 45 minutos no Soccer City. Aos 18, ele novamente, agora em jogada individual, arriscou de fora da área e a bola passou raspando a trave superior do goleiro africano. Khune também foi destaque, pois devido a pressão mexicana, teve de trabalhar bastante.
 

continua após publicidade

Muita das vezes em saídas precisas nas bolas alçadas na área. A mais difícil delas, foi após belo lançamento de Vela para Franco que, frente a frente com o arqueiro Bafana, não teve espaço para finalizar. Khune evitou o perigo. A chance e, talvez única dos anfitriões, foi em cobrança de falta do astro, Pienaar. A bola passou perto.
 

Embalado pelas vuvuzelas, a África do Sul melhorou no final da primeira etapa e chegou a pressionar nos minutos finais, mas quem chegou mais perto do gol, foi o México. Em escanteio cobrado, Franco chegou na frente de Khune e desviou para Vela sem goleiro. O atacante foi o primeiro a balançar a rede na Copa, mas estava em posição irregular e o gol acabou bem anulado pelo bandeira. Fim de primeiro tempo, tudo igual no Soccer City, 0 a 0.
 

continua após publicidade

SEGUNDO TEMPO

Após um primeiro tempo passivo, o técnico Carlos Alberto Parreira voltou do intervalo com Masilela no lugar de Thwala. Se a substituição fez efeito taticamente ou tecnicamente não deu tempo de ver, pois os Bafana Bafana voltaram e logo aos nove minutos abriu o placar.
 

Em contra-ataque, a África do Sul explorou a velocidade de Tshabalala, que após lindo passe de Modise, acertou uma bomba de perna esquerda no ângulo esquerdo do goleiro Perez que nada pode fazer. 1 a 0 para os anfitriões, e o camisa oito foi o primeiro a balançar a rede na Copa 2010.
 

continua após publicidade

Após o gol, os Bafana continuaram a pressionar e por duas vezes teve a chance de ampliar. Após bela assistência para o gol, Modise protagonizou dois lances de perigo. No primeiro, o camisa 11 ficou livre na entrada da pequena área e chutou para fora. Depois, foi puxado na área e por isso o chute saiu fraquinho. Pênalti claro que o árbitro não marcou.
 

Com a desvantagem no placar, o México foi em busca do empate. Do banco, o técnico Aguirre fez as três substituições que podia e aos 34 minutos elas fizeram efeito. Rafael Márquez, o terceiro zagueiro, recebeu livre dentro da área e, com a tranquilidade de um jogador do Barcelona, dominou no peito e colocou na saída do goleiro Khune. O barulho das vuvuzelas deu lugar ao silêncio no Soccer City.

Após o baque do gol sofrido, os Bafanas Bafanas conseguiram ainda criar uma grande oportunidade no final da partida. Mphela foi lançado em velocidade e ganhou do marcador na base da raça e chutou de perna esquerda para a Jabulani tocar com carinho a trave de Perez. As vuvuzelas voltaram com tudo, mas não havia mais tempo. Final, 1 a 1.
 

FICHA TÉCNICA

ÁFRICA DO SUL 1 X 1 MÉXICO

Estádio: Soccer City, Johannesburgo (AFS)
Data/hora: 11/06/2010 - 11h (de Brasília)
Árbitro: Ravshan Irmatov (UZB)
Auxiliares: Rafael Ilyasov (UZB) e Bahadyr Kochrakov (QUI)
Renda/público:
Cartões amarelos: Dikgacoi, Masilela (AFS); Juarez, Torrado (MEX)
Cartões vermelhos:
Gols: Tshabalala, 9' / 2ºT (1-0); Rafael Márquez, 34' / 2ºT (1-1)

África do Sul: Khune, Gaxa, Mokoena, Khumalo e Thwala (Masilela, intervalo); Letsholonyane, Dikgacoi, Modise, Pienaar (Parker, 38' / 2ºT) e Tshabalala; Mphela. Técnico: Carlos Alberto Parreira.


México: Perez, Aguilar (Guardado, 10' / 2ºT ), Rodriguez, Osório e Salcido; Juarez, Rafael Márquez e Torrado; Giovani dos Santos, Vela (Blanco, 22' / 2ºT) e Franco (Hernandez, 27' / 2ºT). Técnico: Javier Aguirre.