Esportes

Aldo diz que Copa ajudou até obras que não serão entregues no Mundial

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Aldo diz que Copa ajudou até obras que não serão entregues no Mundial
fonte: Foto: Divulgação
Aldo diz que Copa ajudou até obras que não serão entregues no Mundial

BRASÍLIA, DF - O ministro Aldo Rebelo (Esporte) disse hoje que a realização da Copa do Mundo no Brasil ajudou o país a acelerar obras, mesmo para os projetos que não ficarão prontos para o Mundial.

continua após publicidade

Dando o exemplo de obras que poderiam levar até 20 anos a ficarem prontas, Rebelo disse que a Copa concentrou investimentos para o evento e serviu para antecipar diversos projetos de infraestrutura do país. As declarações do ministro foram dadas ao programa "Bom dia, ministro", para tratar dos preparativos do Brasil a 30 dias do início da Copa.

"As obras de mobilidade eram do PAC e estavam planejadas independentes do Brasil receber a Copa. São obras que nossas metrópoles careciam para melhorar o tráfego. As obras foram recolhidas para a matriz da Copa com o objetivo de serem antecipadas para melhorar as condições de realização da Copa. A Copa ajudou e ajuda, sim, o Brasil a ter uma infraestrutura melhor", afirmou.

continua após publicidade

Levantamento divulgado pela Folha de S.Paulo hoje mostra que a 30 dias do início da Copa, o país concluiu menos da metade daquilo que se comprometeu a fazer para o Mundial. De 167 intervenções anunciadas, apenas 68 estão prontas, ou 41%. Outras 88 (53%) ainda estão incompletas ou ficarão para depois da Copa. Onze obras foram abandonadas e não sairão do papel.

De acordo com Aldo Rebelo, boa parte das obras constantes na matriz da Copa não são necessárias para o evento, mas sim para a população. "Algumas obras foram antecipadas com êxito e outras não houve prazo. As obras continuarão sendo executadas e serão entregues à população, porque não faziam parte do caderno de encargos da Fifa essas obras de mobilidade de urbana. A não ser uma ou outra reforma de acesso a aeroporto e via de acesso a setor hoteleiro, mas a imensa maioria era obras do PAC que já foram entregues, serão entregues até a Copa ou logo depois", disse.


REPERCUSSÃO

continua após publicidade

Perguntado se os atrasos nas obras da Copa não atingem a imagem do Brasil fora do país, Aldo Rebelo colocou a culpa na imprensa. "Isso é uma parte da mídia brasileira que faz campanha contra a Copa e uma parte da imprensa do mundo repercute isso. O Brasil é a sétima economia do planeta, essa que é a verdade. Então, como é que nós só vamos ter repercussão das coisas negativas?", disse.

Aldo, contudo, afirmou que o país vai se "esforçar para cumprir melhor os prazos". "Não estou dizendo que não temos coisas negativas, lamentáveis. Agora, eleger as coisas, as deficientes do Brasil como se fossem as únicas coisas que podemos encontrar no país é inaceitável. O Brasil já fez coisas mais importantes e mais difíceis que a Copa. Vamos fazer esforço, quem sabe, para cumprir melhor nossos prazos, mas não vai faltar nenhum estádio para a Copa. Diziam a mesma coisa para a Copa das Confederações", afirmou.