Esportes

Se voltar mesmo a jogar, goleiro Bruno não deve ter filho na torcida

Da Redação ·
O presidente do clube Montes Claros, afirmou que não tem conhecimento da situação jurídica de Bruno
fonte: Arquivo
O presidente do clube Montes Claros, afirmou que não tem conhecimento da situação jurídica de Bruno

A assinatura de contrato do goleiro Bruno com o Montes Claros F.C. e sua tentativa de cumprir sua pena em regime semi-aberto para voltar ao futebol causam indignação e preocupação na mãe de Eliza Samudio, que não deseja contato de seu neto com o pai.

continua após publicidade
confira também

Ao tomar conhecimento de que o ex-jogador do Flamengo firmou um vínculo de cinco anos com o time de Minas Gerais há cerca de 15 dias, Sônia de Fátima Moura, que tem a guarda de Bruninho, de quatro anos, disse que "não deseja nem pensar [na hipótese], pois fica desacreditada na justiça brasileira."

"O cara manda dar fim na minha filha de forma cruel, insana, some com o corpo, omite a verdade e ainda é motivo de tanta audiência quando diz que quer voltar a jogar. O mundo para e a imprensa só veicula isso, e se esquece de pressioná-lo para dizer à sociedade o que fez com o corpo da mãe desse inocente", afirmou dona Sônia. "Meu neto vem sendo educado e preparado para não se revoltar  com tudo isso. Quero que ele seja um cidadão do bem", completou.

continua após publicidade

Dona Sônia ainda afirmou que fará de tudo para evitar que o filho tenha interesse em conhecer o pai ou acompanhar uma partida, pois "Bruno não é referência para o filho". Ela disse acreditar que será difícil que o neto tenha qualquer admiração pelo pai.

Bruninho ainda não sabe que o pai é um ex-jogador. Dona Sônia diz tomar todos os cuidados para que a criança cresça sem nenhum trauma da situação passada pela mãe. Ainda não sabe quando a história será contada ao garoto.

A avó diz que teme inclusive pela reação dele quanto tiver condição de saber tudo que ocorreu com ele e com a mãe. "O que será inevitável,  pois a história de vida dele (Bruno) está estampada no mundo todo", afirmou.

O Clube

O presidente do Montes Claros, Ville Mocelin, afirmou que não tem conhecimento da situação jurídica de Bruno e nem quando ele poderia atuar. Diz que é informado pelo advogado de Bruno, Francisco Simini, sobre o caso e apenas aguarda um desfecho. "É o advogado dele que está olhando isso lá. Foi nos passado por ele que tem essa possibilidade [de o Bruno jogar], que tem grande possibilidade, mas foi tudo através do advogado. Ele não está recebendo nada e só acontecerá quando se apresentar ao clube", falou Mocelin.

Com informações de 
José Ricardo Leite do UOL, em São Paulo