Esportes

Só tenho que obedecer, diz volante sobre Juvenal

Da Redação ·





Por Vinícius Bacelar

SÃO PAULO, SP, 16 de julho (Folhapress) - Pressionado pela sequência de oito jogos sem vencer, o volante são-paulino Denílson evitou entrar em polêmicas em entrevista coletiva. Questionado sobre a presença do presidente Juvenal Juvêncio no CT da Barra Funda, o atleta preferiu não opinar sobre o assunto.

"Não tenho que achar nada. Só tenho que obedecer. Precisamos voltar a ganhar para que a situação seja normalizada", declarou.

O jogador também eximiu a diretoria de culpa pelos maus resultados. A equipe perdeu as quatro partidas que fez após a Copa das Confederações -três delas foram realizadas no Morumbi.

"Eu posso falar como funcionário do clube que não falta nada. Temos cama, alimentação... Tudo. Só tenho que agradecer. Dentro de campo as coisas não vêm acontecendo, mas vamos nos fechar ao máximo para sair desta situação", afirmou.

Wellington

Denílson comentou a expulsão do volante Wellington durante a derrota por 3 a 2 para o Vitória, em Salvador, no domingo, pelo Campeonato Brasileiro.

"Ele tentou dar seu máximo na partida. Acho que foi bem, mas teve a infelicidade da expulsão. Conversei com ele. Agora está mais tranquilo".

Após a expulsão, a mulher de Wellington discutiu com torcedores são-paulinos por uma rede social. Perguntado sobre a atitude, Denílson ficou em cima do muro mais uma vez.

"Torcedor age com emoção. Ela também agiu com emoção. Ninguém gosta quando alguém próximo é criticado. Mas não quero entrar em polêmica. Prefiro não comentar".
 

continua após publicidade