Esportes

Presidente diz que dívida aumentou desde que assumiu o clube

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 3 de julho (Folhapress) - O presidente do Palmeiras, Paulo Nobre, declarou que a dívida do clube aumentou desde que ele assumiu a presidência, no final de janeiro.

"Praticamente não paguei nada, e a dívida aumentou um pouco. Não tem patrocinador novo, nem novas fontes de receita. A Meltex [parceria do time de basquete] é fonte nova de receitas, mas na verdade vamos deixar de ter o custo com o basquete e é por isso que ele [o basquete] continuou. Está se desenvolvendo um trabalho para equacionar essa dívida", declarou o dirigente em entrevista coletiva hoje.

Questionado se os valores ultrapassavam R$ 100 milhões, o cartola evitou falar sobre números. "Prefiro não falar em números. É uma dívida grande", disse, sem confirmar se contraiu um empréstimo para o Palmeiras. No entanto, Nobre garantiu que os órgãos de fiscalização do clube estão cientes do que está sendo feito no que ele chama de "reestruturação do Palmeiras".

Nos últimos cinco anos, o Palmeiras foi o que mais aumentou sua dívida entre os clubes mais ricos, segundo levantamento feito pela consultoria BDO. O valor saltou de R$ 68 milhões em 2008 para R$ 287 milhões no ano passado. A alta de 320% fez com que o clube pulasse de 13º para 6º no ranking dos maiores devedores.

Sem patrocínio desde o final do Campeonato Paulista, quando se encerrou o contrato com a Kia Motors, o mandatário do clube alviverde confessa que a situação financeira está complicada.

"Todos sabem da dificuldade que temos na parte financeira, mas o esforço é ainda maior para não atrasar salários. Os jogadores percebem o esforço por essa diretoria para que essa situação mude", afirmou Nobre, que garantiu que o clube está negociando um novo patrocínio para a camisa.

"Está andando bem. As pessoas precisam entender que o orçamento das empresas fecha em setembro para o ano seguinte. Estamos em junho discutindo patrocínio para essa temporada. Não é fácil. Não vou deixar alguém patrocinar o clube por qualquer preço, porque aí cai o padrão. Acredito que se resolva a curto prazo."
 

continua após publicidade