Esportes

Vettel abandona e Rosberg vence GP da Inglaterra

Da Redação ·
Em uma corrida de sustos e reviravoltas, Nico Rosberg contou com ajudas inesperadas neste domingo para vencer o GP da Inglaterra. O alemão herdou a primeira colocação e conquistou a segunda vitória na temporada da Fórmula 1 após ver o rival Sebastian Vettel e o companheiro de Mercedes, Lewis Hamilton, sofrerem com problemas nos carros durante a prova disputada no Circuito de Silverstone. O australiano Mark Webber e o espanhol Fernando Alonso completaram o pódio. Felipe Massa terminou em sexto depois de sofrer com um problema nos pneus que marcou a corrida inglesa. Durante a prova, o brasileiro, Hamilton, o francês Jean-Eric Vergne e o mexicano Sergio Pérez tiveram o mesmo pneu traseiro esquerdo estourado entre os setores 4 e 5 da corrida. Os dois primeiros conseguiram voltar à corrida. Vergne e Pérez acabaram abandonando. O abandono de Vettel e o pódio de Alonso embolaram novamente o campeonato. O alemão da Red Bull segue líder, mas com menor vantagem. Exibe 132 pontos, contra 111 do piloto da Ferrari. O finlandês Kimi Raikkonen, que terminou em 5º neste domingo, soma 100. Rosberg, por sua vez, aparece em sexto, com 82, com sua segunda vitória neste ano - também venceu em Mônaco. Vettel desistiu da prova na 42ª das 52 voltas ao encostar o carro, sem problema aparente. Já os demais sustos foram em decorrência da explosão dos pneus, a começar pelo pole position Hamilton. A Pirelli deve se manifestar sobre os compostos ao fim da prova caótica deste domingo. A CORRIDA - Enquanto Vettel deixava Rosberg para trás e assumia a segunda colocação, Massa fazia incrível exibição no pelotão intermediário, com uma série de seis ultrapassagens. Até Alonso ficou pelo caminho. O brasileiro saltou da 11ª para a 5ª colocação. Na ponta, Hamilton sustentou a liderança com tranquilidade e começava a abrir vantagem sobre Vettel quando houve o primeiro susto, na 8ª volta. Seu pneu traseiro esquerdo simplesmente explodiu, diante do espanto da torcida local. Afastado da zebra e sem sofrer ameaça, o piloto da casa controlou o carro e foi até os boxes para fazer a troca e voltar em último. Vettel assumiu a liderança e Massa ganhou uma posição, subindo para quarto. Mas a vantagem não durou, assim como seu pneu traseiro esquerdo, o mesmo que quase tirou Hamilton da prova. A exemplo do que aconteceu com o inglês, o brasileiro levou um susto ao ter o pneu estourado, na volta 11. E, após o pit stop, retornou na última colocação. Massa foi seguido nos boxes pelos líderes da prova, na primeira rodada de paradas. As trocas de pneus não alteraram o panorama da corrida. Vettel era o líder, acompanhado de perto por Rosberg, Sutil, Alonso e Raikkonen. A ordem se manteve mesmo após a intervenção do safety car, em razão de um novo susto na pista. Na 15ª volta, a vítima do pneu traseiro esquerdo foi Jean-Eric Vergne, da Toro Rosso. A explosão levou o francês aos boxes e à última posição. O estouro entre os setores 4 a 5 do circuito, mesmo local em que Hamilton e Massa também tiveram o problema. Depois da limpeza na pista, a corrida foi liberada na 21ª volta. Não foi a última intervenção na prova inglesa. Uma nova reviravolta mudaria a história da corrida. Após fazer o pit stop mais rápido do GP, Vettel liderava com ampla vantagem, enquanto os principais rivais, Alonso e Raikkonen duelavam pelo 8º lugar, no pelotão intermediário. Tudo parecia garantir nova vitória que faria Vettel disparar na briga pelo quarto título consecutivo. Mas o triunfo foi abortado na 42ª volta, quando o carro do alemão simplesmente parou na pista, sem causas aparentes. Como já havia previsto Alonso, chegara o dia em que a Red Bull também enfrentaria problemas técnicos. A queda do líder abriu caminho para mais uma vitória de Rosberg. Mas não sem sofrimento. O safety car entrou novamente na pista logo após a saída de Vettel, o que emparelhou novamente os pilotos e aproximou os rivais. Em uma prova de recuperação, Webber empilhou ultrapassagens até colar no piloto da Mercedes. Exibindo grande ritmo, após sofrer um toque na largada e cair de 4º para 14º, o australiano surpreendeu nas voltas finais e esteve perto de obter vitória histórica, justamente no fim de semana em que anunciou sua aposentadoria da categoria - seu contrato vai até o fim do ano. Rosberg sustentou a primeira colocação até o fim, enquanto Alonso galgava seguidas posições. Acabou deixando Raikkonen para trás para ficar com o terceiro lugar. Hamilton, que também fez grande corrida de recuperação, ficou em quarto, à frente do finlandês. Massa, por sua vez, destacou-se com o sexto lugar ao fazer quatro paradas, uma a mais que os lideres. Antes da bandeirada, contudo, um novo susto. Repetindo os casos anteriores, Sergio Pérez viu seu pneu traseiro esquerdo explodir, sem sofrer o toque de nenhum rival. O mexicano precisou abandonar, selando uma corrida caótica, recheada de reviravoltas. Os pilotos da Fórmula 1 voltam à pista já no próximo fim de semana. Eles vão disputar o GP da Alemanha, no Circuito de Nürburgring, no dia 7 de julho. Confira a classificação final do GP da Inglaterra: 1.º - Nico Rosberg (ALE/Mercedes), em 1h32min59s456 2.º - Mark Webber (AUS/Red Bull), a 0s765 3.º - Fernando Alonso (ESP/Ferrari), a 7s124 4.º - Kimi Raikkonen (FIN/Lotus), a 7s756 5.º - Lewis Hamilton (ING/Mercedes), a 11s257 6.º - Felipe Massa (BRA/Ferrari), a 14s573 7.º - Adrian Sutil (ALE/Force India), a 16s335 8.º - Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso), a 16s500 9.º - Paul Di Resta (ESC/Force India), a 17s993 10.º - Nico Hulkenberg (ALE/Sauber), a 19s700 11.º - Pastor Maldonado (VEN/Williams), a 21s100 12.º - Valtteri Bottas (FIN/Williams), a 25s000 13.º - Jenson Button (ING/McLaren), a 25s900 14.º - Esteban Gutierrez (MEX/Sauber), a 26s200 15.º - Charles Pic (FRA/Caterham), a 31s600 16.º - Jules Bianchi (FRA/Marussia), a 36s000 17.º - Max Chilton (ING/Marussia), a 1min07s600 18.º - Giedo van der Garde (HOL/Caterham), a 1min07s700 19.º - Romain Grosjean (FRA/Lotus), a uma volta Não completaram a prova: Sergio Pérez (MEX/McLaren) Sebastian Vettel (ALE/Red Bull) Jean-Eric Vergne (FRA/Toro Rosso)
continua após publicidade