Esportes

Proibição do reabastecimento aumenta quebras de motor da Ferrari

Da Redação ·
 Propulsor perde muito ar nas corridas; segundo a Auto Motor und Sport, falha é antiga
fonte: googleimagens.com
Propulsor perde muito ar nas corridas; segundo a Auto Motor und Sport, falha é antiga

A Ferrari identificou o problema que está causando as quebras no motor de seu carro e vai pedir autorização à FIA (Federação Internacional de Automobilismo) para alterar as configurações de seu propulsor - o que hoje é proibido pelo regulamento da Fórmula1 , segundo a revista alemã Auto Motor und Sport.

continua após publicidade



De acordo com a publicação, a Ferrari tem um problemas na vedação das válvulas pneumáticas, que não seguram o ar como deveriam. Dessa maneira, o motor perde confiabilidade e fica mais frágil.


Ainda segundo a revista, a escuderia já sofre há algum tempo com esse problema, mas ele piorou nesta temporada por causa da proibição do reabastecimento - os mecânicos enchiam o reservatório de ar no pit stop. Como a troca de pneus é muito mais rápida, e as paradas nos boxes são menos frequentes, a Ferrari tem dificuldades para amenizar o problema.

continua após publicidade

Mesmo que a FIA autorize a Ferrari a alterar a configuração do motor, isso não poderá ser feito nos motores já usados por Felipe Massa e Fernando Alonso, que têm direito a oito propulsores para toda a temporada. A cada motor extra utilizado, o piloto perde dez posições no grid.


As quebras não afetam somente a Ferrari, já que a Sauber também utiliza os motores italianos. O espanhol Pedro de la Rosa perdeu dois motores em GPs, e o japonês Kamui Kobayashi, um.