Esportes

São Paulo ganha da Ponte Preta por 2 a 0 em Campinas

Da Redação ·
O São Paulo não tomou conhecimento do fato de jogar fora de casa e venceu a Ponte Preta por 2 a 0, neste domingo, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, na estreia pelo Campeonato Brasileiro. Com gols do zagueiro Lúcio e do meia Jadson, a equipe comandada pelo técnico Ney Franco foi superior tecnicamente ao time mandante durante a maior parte do jogo, mesmo depois de o zagueiro Edson Silva ter sido expulso aos 13 minutos do segundo tempo. A vitória dá um pouco de tranquilidade a Ney Franco para o início da competição. Pressionado pelas recentes eliminações no Campeonato Paulista e na Copa Libertadores, o técnico passou a ser avaliado de uma maneira mais severa pelo presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio, que mesmo assim o garantiu no cargo. Entre os desfalques para o jogo de Campinas, a equipe do Morumbi tinha uma lista nada desprezível. O goleiro Rogério Ceni, o zagueiro Rafael Toloi e o meia Paulo Henrique Ganso estavam lesionados e não puderam participar. A Ponte Preta, por sua vez, tinha novidades em relação ao grupo que disputou bem o Paulistão, mas manteve praticamente todos os titulares. O volante Magal, que disputou o Estadual pelo Mogi Mirim, foi o único dos reforços a ganhar um lugar na equipe. Logo no primeiro minuto de jogo, o São Paulo quase abriu o placar depois de uma tabela entre Carleto e Jadson. O lateral-esquerdo recebeu passe do meia e arriscou chute defendido em dois tempos pelo goleiro Edson Bastos. A equipe do Morumbi esboçava um domínio de jogo e, aos 8 minutos, chegou ao gol. Após a cobrança de escanteio de Carleto, o zagueiro Lúcio cabeceou para o fundo das redes: 1 a 0. Após o gol são-paulino, a equipe de Campinas, incentivada pela torcida, tentou buscar mais o ataque, mas de uma maneira pouco organizada. Com o placar favorável, o São Paulo tinha o domínio de jogo e era perigoso nos contra-ataques. Aos 15 minutos, a Ponte Preta quase chegou ao empate, depois de o goleiro Denis espalmar para fora um chute forte do meia Chiquinho. Logo na sequência, a equipe da casa levou novamente grande perigo ao gol são-paulino com uma cabeçada para fora do meia Ramirez, após cobrança de escanteio. Aos poucos, a Ponte Preta foi dominando a posse de bola, mas pouco criava de lances agudos de gol. Com forte marcação, o São Paulo se defendia bem e ainda incomodava o adversário em lances esporádicos. Aos 33 minutos, Jadson recebeu passe de Carleto e teve boa oportunidade de aumentar o placar, mas chutou para fora. Aos 35, Luis Fabiano, em um fraco primeiro tempo, só não fez de cabeça porque Edson Bastos defendeu. Ainda perto do fim da primeira etapa, a Ponte Preta teve ótima oportunidade com o centroavante William. Aos 36 minutos, ele arrancou pelo meio e arriscou chute forte na entrada da grande área. A bola passou raspando a trave do goleiro Denis. Aos 42 minutos, após jogada na grande área, o meia Silvinho foi derrubado e o árbitro não titubeou: pênalti para o São Paulo. Na cobrança, aos 44, Jadson não desperdiçou e ampliou o placar: 2 a 0. Na volta para o segundo tempo, as equipes voltaram sem substituições e a Ponte Preta, em desvantagem, começou a etapa buscando o ataque. Aos 5 minutos, o atacante Rildo aproveitou passe de Uendel e chutou para o gol, mas Denis defendeu. A despeito da pressão da equipe de Campinas, o São Paulo não desistiu de atacar. Aos 9, Douglas invadiu a área ponte-pretana e bateu rasteiro. O terceiro gol só não saiu porque Edson Bastos fez importante defesa com as pernas. O jogo ficou quente e, logo aos 10 minutos, a Ponte Preta quase diminuiu com William. O atacante recebeu passe de Rildo, dominou e soltou um forte chute, obrigando Denis a se esticar para fazer grande defesa. O cenário de tranquilidade para o São Paulo sofreu um abalo aos 13 minutos, quando o zagueiro Edson Silva domina mal a bola, perdeu a corrida com Rildo e faz falta no atacante. Como ele já tinha cartão amarelo, acabou sendo expulso. O técnico Guto Ferreira não bobeou e, aproveitando-se do jogador a mais, sacou o volante Baraka para a entrada do jovem atacante Alemão. Logo aos 21 minutos, ele recebeu passe do meia Chiquinho e chutou de primeira, obrigando o goleiro Denis a fazer mais uma importante defesa. O São Paulo passou a se fechar ainda mais, sem abdicar totalmente dos contra-ataques. Aos 22 minutos, Jadson cruzou a bola e Edson Bastos a afastou mal do gol. O lance gerou um bate-rebate na área ponte-pretana e teve Osvaldo e Luis Fabiano com chances de ampliar o marcador, mas a bola foi afastada pela defesa do time da casa. Os técnicos trabalharam bastante e promoveram várias substituições. Pelo lado do São Paulo, Ney Franco tirou Luis Fabiano e colocou Aloísio e sacou o atacante Oswaldo para a entrada do volante Wellington. Pelo lado da Ponte Preta, Guto Ferreira, tirou o lateral Uendel para a entrada de Rodrigo Biro e Rildo para a entrada de Éverton Santos. Com as mudanças, o jogo ficou bem mais morno que o começo da segunda etapa. A Ponte Preta tentava encurralar o São Paulo, mas chutava muito mal ao gol, perdendo várias oportunidades. O time da capital, com um a menos, fazia a sua parte na defesa e sempre era mais perigoso quando atacava. No fim, a estreia são-paulina superou as expectativas. A Ponte Preta mostrou falhas claras, especialmente no ataque, que renderam ao time de Campinas a derrota no primeiro jogo do campeonato. As duas equipes voltam a campo nesta quarta-feira, pela mesma competição. O São Paulo receberá o Vasco, no estádio do Morumbi. A Ponte Preta enfrentará o Flamengo, em Juiz de Fora, em Minas Gerais. FICHA TÉCNICA PONTE PRETA 0 x 2 SÃO PAULO PONTE PRETA - Edson Bastos; Cicinho, Cleber, Diego Sacoman e Uendel (Rodrigo Biro); Baraka (Alemão), Magal, Ramirez e Chiquinho; Rildo (Éverton Santos) e William. Técnico: Guto Ferreira. SÃO PAULO - Denis; Douglas, Lúcio, Edson Silva e Carleto; Denílson, Rodrigo Caio e Jadson; Silvinho (Paulo Miranda), Luis Fabiano (Aloísio) e Oswaldo (Wellington). Técnico: Ney Franco. GOLS - Lúcio, aos 8, Jadson (pênalti), aos 44 minutos do primeiro tempo. CARTÕES AMARELOS - Lúcio, Rildo e William (Ponte Preta); Paulo Miranda, Wellington e Douglas (São Paulo). CARTÃO VERMELHO - Edson Silva (São Paulo). ÁRBITRO - Vinícius Furlan (SP). RENDA - R$ 84.889,00. PÚBLICO - 6.267 pagantes. LOCAL - Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP).
continua após publicidade