Esportes

Wanderlei Silva diz que Sonnen luta como "menina" e que vai estragar seu rosto

Da Redação ·

Por Eduardo Ohata SÃO PAULO, SP, 23 de maio (Folhapress) - Após repetidas provocações da parte do falastrão Chael Sonnen, o brasileiro Wanderlei Silva fez, finalmente, um desabafo sobre o americano, que deve grande parte de sua notoriedade, e a continuidade de sua carreira, às ofensas aos lutadores brasileiros de MMA (artes marciais mistas). "O Sonnen parecia uma menina na luta com o [campeão meio pesado do UFC] Jon Jones. Ele é um lutador mediano, precisa falar dos outros para aparecer. Bobo é quem acredita nele. Pode ver que quando lutou com o Jones e com o Anderson [Silva, campeão dos médios do UFC] os dois tiraram ele para nada", afirmou Wanderlei. A luta ainda não foi anunciada oficialmente pelo UFC, mas vem despertando atenção. "Se a luta com o Sonnen sair, vou fazer algo que o Jones e o Anderson não fizeram porque pararam a luta antes. Vou estragar o rosto dele, o Sonnen vai sair machucado. Não vou entrar para ganhar, vou entrar para machucar", prevê o lutador cuja marca registrada nos ringues do Pride, competição de MMA no Japão que o consagrou no MMA, era a agressividade e especialmente os pisões nas cabeças dos adversários, que lhe valeram o apelido de "Cachorro Louco". Até mesmo Anderson Silva, melhor lutador de MMA da atualidade independente da categoria de peso, descreveu um dos treinos que fez com Wanderlei como "15 minutos de terror e desespero". Fora a luta na qual dominou Anderson por quatro assaltos e meio até ser finalizado em um triângulo, espécie de estrangulamento com as pernas que usa o braço do próprio adversário, Sonnen não teve outras lutas em que esteve "acima da média". Mas o americano vem usando a língua para se manter em evidência. Disse que no Brasil não há computadores ou sabão. Disse que daria um tapa no traseiro da mulher de Anderson. Afirmou que se alguém cumprimentar um conhecido como no Japão, curvando o corpo para a frente, levará uma pancada na cabeça e terá a carteira roubada. Disse que Minotauro Nogueira, ícone do MMA, "já era". Provocou Vitor Belfort, outro brasileiro. Agora, nem bem saiu do octógono, palco das lutas do UFC, após derrota para Jones, Sonnen alfinetou Wanderlei ao dizer que poderia se aposentar. "Ou vou fazer o quê? Lutar com tipos como Wanderlei Silva?", perguntou, de forma retórica. O americano, que já chamara Wanderlei de "imigrante", deu um ultimato, via mídia social, ao curitibano: "Você tem 24 horas para aceitar meu desafio e eu doarei dez por cento de minha bolsa a uma escola de sua cidade natal, Curitiba. Quer dizer, Las Vegas." Agora, de forma provocativa, diz que desistiu da luta porque o brasileiro "não quer enfrentá-lo". Tanto quanto as provocações, os benefícios obtidos por Sonnen vêm irritando os brasileiros. "Ele conseguiu [disputar o título com o Jones] com a língua", analisou Belfort. "O Sonnen pediu desculpas, disse que tudo o que falou sobre mim e o Brasil foi para promover a luta com o Anderson", aponta Minotauro. "Mas cinco minutos depois ele está com o microfone na mão falando tudo de novo..."  

continua após publicidade