Esportes

Valcke diz que não é possível excluir São Paulo da Copa

Da Redação ·
Em sua última visita ao Maracanã antes da entrega do estádio à Fifa para a Copa das Confederações, em 24 de maio, o secretário-geral da entidade, Jérôme Valcke, mostrou-se desconfortável nesta quarta-feira com a polêmica suscitada por ele mesmo na véspera. Valcke tentou fugir das perguntas sobre a possibilidade de o estádio do Corinthians perder o jogo de abertura da Copa do Mundo de 2014. "Já falei desse assunto várias vezes e vou falar pela última vez agora. Teremos um encontro nos próximos dias entre as quatro partes responsáveis pelo estádio (Corinthians, Odebrecht, Fifa e Comitê Organizador Local). Vamos achar uma solução". Valcke foi taxativo ao dizer que não é possível haver Copa do Mundo sem São Paulo, para satisfação do ministro do Esporte, Aldo Rebelo, a seu lado, que balançava a cabeça positivamente. "O estádio (do Corinthians) está dentro do cronograma. Está com 76% de conclusão. Basta fazer a conta até dezembro. Temos a confiança na direção do Corinthians e na empresa responsável pela obra de que o prazo será cumprido. Nós trabalhamos com a expectativa de dezembro de 2013", disse Rebelo. Na tarde de terça-feira, o Corinthians emitiu nota informando que o estádio do Itaquerão ficará pronto em fevereiro de 2014, e que a Fifa tinha liberdade para mudar o local do jogo de abertura da Copa. Perguntado se o Maracanã poderia sediar a abertura do Mundial, Valcke, visivelmente irritado, reforçou que o assunto seria resolvido com os responsáveis pela construção da arena corintiana. "O Maracanã vai receber vários jogos da Copa. O Rio já vai sediar o centro de mídia da Fifa. Vocês verão vários dos nossos lindos e simpáticos agentes da Fifa circulando pela cidade. Não há motivo para trazer mais eventos para o Rio". Nesta quarta, estava previsto inicialmente a realização de um segundo jogo-teste no Maracanã, que foi cancelado devido ao atraso nas obras. Em sua última visita ao Rio, em março, Valcke comentou que o ideal é a realização de três eventos-teste para adequar toda a infraestrutura para o primeiro jogo oficial - o que não ocorrerá no estádio carioca. Ele, no entanto, minimizou o problema nesta quarta-feira.
continua após publicidade