Esportes

Trios de juízes da Copa das Confederações são definidos

Da Redação ·

A Fifa anunciou nesta segunda-feira (13) os dez trios de arbitragem, de dez diferentes países, que irão apitar na Copa das Confederações. Anfitrião da competição marcada para acontecer entre 15 e 30 de junho, o Brasil não terá nenhum representante no apito e o Japão será a única das nações participantes desta edição do torneio que contará com juízes selecionados para trabalhar no evento.

Os 30 nomes escolhidos representarão cinco das seis confederações filiadas à Fifa e foram selecionados pelo Comitê de Arbitragem da entidade a partir da lista de candidatos a árbitros da Copa do Mundo de 2014.

O brasileiro Sandro Meira Ricci, pré-selecionado para apitar na Copa do Mundo de 2014 formando trio com Alessandro Rocha Matos e Emerson Augusto de Carvalho, acabou ficando fora desta lista de árbitros escolhidos para a Copa das Confederações. Eles estavam também em uma pré-lista de árbitros selecionados para atuar na importante competição que será realizada no Brasil no próximo mês, mas foram descartados.

Além de três árbitros japoneses, a Copa de Confederações terá outros nove trios dos seguintes países: Usbequistão, Argélia, El Salvador, Argentina, Chile, Alemanha, Portugal, Holanda e Inglaterra. Em 2009, quando ocorreu a edição passada do torneio, na África do Sul, nove trios foram selecionados pela Fifa.

Entre os eleitos para arbitrar nesta Copa das Confederações, os três nomes mais conhecidos do público são o inglês Howard Webb, que apitou a final da Copa de 2010, o português Pedro Proença e o chileno Enrique Osses. O último deles comandou o primeiro jogo da final da Copa Libertadores de 2012, entre Boca Juniors e Corinthians, em Buenos Aires, onde ele também dirigiu o confronto de ida entre os dois times nas oitavas de final desta edição da competição continental. Já Diego Hernan Abal é o outro sul-americano que comandará o trio de árbitros argentinos nesta Copa das Confederações.

Os árbitros escolhidos para trabalhar nesta Copa das Confederações estão há dois anos sob a orientação e supervisão do ex-árbitro Massimo Busacca, chefe do departamento de arbitragem da Fifa. "São todos candidatos em potencial para o evento máximo do futebol em 2014 no Brasil, e esses torneios de ponta são um pilar importante para a preparação", disse Busacca. "Assim como os demais colegas na lista aberta de 52 candidatos para o Mundial, eles estão prontos para apitar em todos os níveis. Estamos convencidos de que eles oferecerão a qualidade que buscamos", completou.

A arbitragem desta Copa das Confederações, por sinal, estará ainda mais em evidência pelo fato de que a competição irá adotar a tecnologia da linha do gol com o objetivo de evitar erros em lances duvidosos no qual o olho humano pode não constatar que a bola entrou na meta, como ocorreu na Copa de 2010, na África do Sul. Na ocasião, a arbitragem não validou um gol do inglês Lampard no confronto diante da Alemanha, válido pela nas oitavas de final, no qual a bola bateu no travessão, pingou dentro do gol e depois saiu da meta.

Com seis cidades-sede, a Copa das Confederações de 2013 contará com oito países participantes. Além do anfitrião Brasil e do Japão, campeão asiático, o torneio terá a Espanha, atual campeã do mundo e da Europa, a Itália, vice-campeã da Eurocopa de 2012, o Uruguai, atual campeão sul-americano, o México, campeão da América do Norte, Central e Caribe, a Nigéria, campeã africana, e o estreante Taiti, campeão da Oceania.

continua após publicidade