Esportes

Lúcio diz que atrito com técnico Ney Franco "ficou para trás"

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 7 de abril (Folhapress) - O zagueiro Lúcio, autor de um dos gols da vitória do São Paulo sobre o Botafogo, por 3 a 1, hoje, em Ribeirão Preto, disse que o atrito com o técnico Ney Franco "ficou para trás".

"O grupo está unido, o [que aconteceu no] passado ficou para trás, temos que olhar pra frente. Está tudo em paz, estamos felizes e a vitória foi boa para a sequência do trabalho", disse o zagueiro na saída do gramado.

O camisa 3 foi protagonista de um ato de insubordinação contra o comandante são-paulino, durante partida da Libertadores contra o Arsenal, na Argentina. Na ocasião, o atleta foi substituído e saiu direto para o vestiário. Ao final do jogo, enquanto os jogadores entraram no vestiário, Lúcio já estava no ônibus.

Outro episódio recente foi do meia Ganso, que também reclamou após sair do clássico contra o palmeiras. No jogo de hoje, o volante Fabrício demonstrou irritação ao ser substituído por Maicon, no segundo tempo da partida.

O zagueiro atribuiu à imprensa o momento de turbulência vivido pelo São Paulo.

"Muitas vezes são coisas publicadas fora do ambiente de trabalho. Ainda tem coisas para corrigir, nem tudo está perfeito. Temos que ter equilíbrio, o ambiente melhorou e vai melhorar ainda mais daqui para frente. Temos que manter foco trabalho pra não deixar coisas externas influenciarem", declarou.

Em uma atitude para mostrar que o ambiente realmente está melhor pelos lados do Morumbi, Lúcio comemorou o seu primeiro gol pelo clube indo até o banco de reservas para abraçar Ney.

"Eu abracei todo mundo no banco", despistou. "Foi meu primeiro gol pelo São Paulo, agradeço a Deus. Os jogadores estão sempre apoiando, o ambiente estava bom antes do jogo", afirmou.

Sobre o mal desempenho da equipe na Libertadores - o time precisa vencer o Atlético-MG na última rodada e torcer por vitória do Arsenal ou empate contra o Strongest -, o camisa 3 do time tricolor demonstrou esperança.

"As duas últimas partidas não foram boas [derrotas para o Corinthians e Strongest], mas temos que acreditar, temos que fazer nosso trabalho, pensar antes no Paulista e depois na Libertadores. Mas temos que acreditar até o último minuto", defendeu.

Por fim, Lúcio reclamou da torcida são-paulina, que protestou no sábado no CCT da Barra Funda contra o momento da equipe e pediu a saída do atacante Luis Fabiano.

"Acredito que a torcida sabe da qualidade do grupo, a gente só espera que manifestação também seja de apoio no estádio, isso [reclamação] faz parte, mas o verdadeiro são-paulino tem que ir apoiar, é muito fácil apoiar quando é campeão, mas tem que apoiar em todos os momentos", completou.
 

continua após publicidade