Esportes

Em boa fase no Palmeiras, Caio chora ao lembrar mãe

Da Redação ·
Autor de dois gols nos últimos três jogos, o atacante Caio conseguir cavar seu espaço na equipe do Palmeiras e começa a escrever uma história que não é totalmente feliz para o jogador, pois sua mãe, Nádia, uma das maiores responsáveis pelo garoto chegar ao clube, faleceu em 2005, vítima de câncer, e não pôde acompanhar a boa fase do filho. Nesta quarta, o garoto chegou a falar do bom momento e por não ter a mãe ao lado. "Infelizmente, ela não está aqui, mas sei o quanto lutou e acho que está muito feliz por eu estar aqui neste momento", disse o atacante, com os olhos cheios de lágrimas. Natural de Presidente Prudente, o garoto de 20 anos começou a carreira no Palmeiras, mas para chegar até a condição de titular do time alviverde precisou passar por muitas batalhas com a ajuda da mãe. "Penso muito nela, só eu e minha família sabemos o quanto ela fez para chegar onde estou. Foi graças a Deus. É tudo no tempo dele. Infelizmente ela não está aqui, mas está em algum lugar melhor", afirmou o atacante, que não quis se aprofundar no assunto, após ficar muito emocionado. Em dez jogos na temporada, Caio marcou dois gols. Os números podem não chamar a atenção, mas seu desempenho em campo tem agradado o técnico Gilson Kleina, que gosta de atuar com um atacante mais centralizado na área. Seu estilo, lembra do atacante Washington, que defendeu as cores do Atlético-PR, Fluminense e São Paulo, entre outros. "Procuro agarrar da melhor maneira possível as oportunidades", disse o garoto, que na semana que vem pode começar a disputar posição, pois Kleber deve estar à disposição de Kleina. Mas Caio não tem vaidade em ser titular. "O importante é saber que somos um grupo que provou a qualidade. O Kleina olha para nós e sabe que podemos ajudar", disse o atacante.
continua após publicidade