Esportes

Por torcedores, Gobbi encontrará ministros em Brasília

Da Redação ·
O presidente do Corinthians, Mário Gobbi, vai viajar nesta quarta-feira para Brasília, onde terá reuniões com os ministros da Justiça, José Eduardo Cardozo, e das Relações Exteriores, Antônio Patriota. O dirigente pedirá a intervenção do governo federal no caso dos 12 torcedores presos na cidade de Oruro, na Bolívia, desde o dia 20 de fevereiro. "O objetivo dos encontros é resguardar o direito a ampla defesa do cidadão brasileiro, que consta no Artigo 5 de nossa Constituição e na Declaração Universal dos Direitos Humanos. Como cidadãos, independentemente de serem brasileiros e corintianos, os presos têm os seus direitos violados, além de serem mantidos em situação precária e perigosa. Como presidente do Corinthians e cidadão brasileiro, vou trabalhar para defendê-los", afirmou Gobbi. Os torcedores foram detidos por suspeita de participação na morte do adolescente boliviano Kevin Beltrán Espada durante partida do Corinthians contra o San José, em Oruro, pela Copa Libertadores. Um sinalizador lançado da torcida corintiana acertou e matou o jovem de 14 anos. Cinco dias depois, um garoto menor de idade assumiu ser o autor do disparo, o que não mudou a situação dos torcedores presos na Bolívia. Indignado com a situação dos torcedores em Oruro, o presidente do Corinthians atacou as autoridades bolivianas no domingo após a vitória sobre o São Paulo, no Morumbi. "Eles estão sequestrados lá na Bolívia, é uma situação pior do que a ditadura", criticou o dirigente. Nesta quarta, Gobbi tem audiência marcada com o ministro da Justiça, às 16h30, e com o ministro das Relações Exteriores, às 18 horas.
continua após publicidade