Esportes

Palmeiras encara Tigre em duelo decisivo da Libertadores

Da Redação ·
Palmeiras encara Tigre em duelo decisivo da Libertadores
fonte: Arquivo
Palmeiras encara Tigre em duelo decisivo da Libertadores

O Palmeiras tem a primeira grande decisão da temporada nesta terça-feira, às 21h30, em um estádio do Pacaembu que não deve lotar, tamanha a descrença dos torcedores com o time comandado pelo técnico Gilson Kleina, mas que vai estar efervescente. Muitas coisas estão em jogo. A principal delas, a classificação às oitavas de final da Copa Libertadores está ameaçada e vencer os argentinos do Tigre é mais do que uma obrigação. É uma necessidade.


São 90 minutos que separam o Palmeiras do céu e o inferno. Se vencer, pode chegar ao segundo lugar do Grupo 2, ficar em uma boa situação para conseguir a classificação e dar sobrevida ao trabalho de Gilson Kleina. O time alviverde é o terceiro, com três pontos, assim como o Tigre, que aparece logo abaixo pelo saldo de gols. O Libertad, do Paraguai, lidera com oito pontos e o Sporting Cristal, do Peru, está em segundo, com cinco - as duas equipes têm quatro jogos.

Mas uma derrota pode fazer a vaga se tornar um sonho distante e a pressão em cima do treinador se tornar próxima do insustentável. Depois do jogo desta terça, o Palmeiras tem ainda o Libertad, em casa, e o Sporting Cristal, no Peru. A diretoria nega intenção de demitir Gilson Kleina em caso de fracasso nesta terça, mas ele sabe que a corda já estará em seu pescoço, pronta para ser puxada.

Fora de campo, os jogadores e a comissão técnica esperam por apoio, mas sabem que rapidamente os aplausos podem virar vaias. "Temos que fazer valer o mando e mais uma vez tenho de fazer apelo ao torcedor pedindo apoio", disse Gilson Kleina. A Mancha Alviverde, torcida organizada rompida com o clube, está de volta. Suspensa pela Federação Paulista de Futebol (FPF) de frequentar os estádios no estado, ela tem liberdade quando a partida é sob a batuta da Conmebol. E os torcedores prometem pegar no pé do time do início ao fim do jogo.

continua após publicidade
confira também

Além da questão extracampo, Gilson Kleina tem mais um problema para resolver. O temor dele no início da temporada aconteceu. Jogadores que chegaram depois do período de inscrições na Libertadores, ou que já foram inscritos por outros clubes, estão se destacando no Campeonato Paulista, mas não poderão atuar na competição continental.

Três titulares no Estadual desfalcam a equipe por não estarem inscritos. Casos do zagueiro André Luiz, do volante Léo Gago e do atacante Leandro. Além disso, o meia Rondinelly, que poderia ser uma opção, também fica fora pelo mesmo motivo.

Como desafios se tornaram uma dura rotina para o Palmeiras nesta temporada, este jogo apresenta mais um problema para Gilson Kleina superar. Outros importantes titulares estão machucados, casos do zagueiro Henrique, do meia Valdivia e dos atacantes Maikon Leite e Kléber. "Acredito que eu terei algo em torno de 19 jogadores para usar", projetou o treinador, que deverá encher o banco de reservas com garotos da base que ainda nem jogaram como Bruno Dybal, Luiz Gustavo e Emerson.

Dois jogadores entram em campo ainda mais pressionados, pois sabem que podem ter a última - ou uma das últimas - oportunidade de mostrar serviço. Na zaga, o jovem Marcos Vinícius, de 21 anos, tem mais uma chance de atuar, já que Henrique e Leandro Amaro estão machucados e Vilson e André Luiz não podem jogar. Assim, ele forma dupla com Maurício Ramos. "Claro que bate uma ansiedade, mas estou preparado", disse o zagueiro, que estreou marcando um gol contra com 45 segundos de jogo diante do Mirassol, na vexatória goleada por 6 a 2, na última quarta.

Outro que está na berlinda é o atacante Vinícius. Apontado como uma revelação do clube nos últimos anos, mas que ainda não conseguiu se firmar, ele sofre uma enxurrada de críticas pelas más atuações, mas é mantido no time pela falta de opções.