Esportes

São Paulo vê erro de juiz em lance que decidiu clássico

Da Redação ·
O clima dos jogadores do São Paulo era de revolta, na noite deste domingo, com o pênalti marcado pelo árbitro Leandro Bizzio Marinho em lance envolvendo Rogério Ceni e Alexandre Pato. A principal reclamação foi que o atacante corintiano entrou com a sola da chuteira no goleiro, o que caracterizaria jogo perigoso e invalidaria a infração. "O árbitro deu a vitória pra eles. Eu levei um escorão e ele disse que estava de costas para o lance. Que árbitro fica de costas para o jogo? Ele disse que foi falta do Rogério. Se aquilo não foi solada, o que é então? Se for assim dá a vitória para eles que é mais fácil e a gente nem precisa entrar em campo", esbravejou Paulo Henrique Ganso, geralmente ponderado nas declarações. Assim que acabou a partida, alguns jogadores tricolores partiram para cima da arbitragem para questionar não só a penalidade como os cinco minutos de acréscimo - os jogadores esperavam oito, tempo entre a falta de Rogério e a cobrança de Pato. Segundo Ney Franco, os jogadores disseram que a ideia original do árbitro era marcar a falta de Pato. "A fala que ouvi do Osvaldo foi de que o quarto árbitro, ou o da linha de fundo, tinha dito que foi solada do Pato", disse. Para piorar a situação, Rogério saiu com fortes dores no pé direito e, de acordo com o médico do clube, José Sanchez, é dúvida para a partida decisiva na Libertadores de quinta-feira contra o The Strongest em La Paz. "O choque foi forte e ele está sentindo muitas dores. Ele é dúvida", explicou. Para Ney, o capitão deverá ter condições de ir para a partida, decisiva para as pretensões na competição. "Até pelo fato de ele ter fechado o jogo, acredito que ele não deva ser problemas". EVOLUÇÃO - Polêmicas à parte, o treinador elogiou o desempenho da equipe contra o rival e acredita que a formação mais agressiva com apenas um volante de ofício funcionou. Para ele, a derrota aconteceu em um lance isolado e não terá nenhum impacto psicológico negativo para o confronto na Bolívia. "Se tivéssemos perdido e jogado muito mal talvez tivéssemos um impacto psicológico, mas esse não foi o caso. O impacto é apenas na tabela do campeonato Paulista", minimizou o comandante. Apesar de deixar transparecer que o time que esteve em campo no clássico contra o Corinthians deva ser também o que enfrentará o The Strongest, Ney não quis confirmar se manterá a formação ou se pensa em promover alguma alteração. "Ainda temos um tempo para pensar na montagem da equipe. Vamos avaliar as opções e ver o que consideramos melhor". Enquanto o duelo não chega a diretoria segue trabalhando para conseguir dar condições de jogo a Luis Fabiano, suspenso pela Conmebol por quatro partidas. A expectativa é que o clube pelo menos consiga um efeito suspensivo que o deixe em condições de participar do jogo de quarta. Caso não consiga reverter a decisão a tempo, Aloísio será o titular.
continua após publicidade