Esportes

Com tranquilidade, Bolt vence desafio dos 150m e dança funk

Da Redação ·





Por Italo Nogueira

RIO DE JANEIRO, RJ, 31 de março (Folhapress) - O recordista mundial Usain Bolt venceu com facilidade o desafio dos 150m neste domingo, na praia de Copacabana, zona sul do Rio, mas não bateu o próprio recorde na prova de 150 metros. O público, porém, não se decepcionou. Após a prova, o jamaicano dançou o funk "Ah! Lelek", foi na areia cumprimentar os que assistiam e desfilou com a bandeira do Flamengo.

"Foi minha primeira corrida de velocidade na temporada e não sabia o que esperar. Foi um bom tempo", disse o jamaicano.

Bolt venceu com 14s42, acima da marca que havia registrado em 2009, 14s35, num evento nas ruas de Manchester. Ele superou o antiguano Daniel Bailey (14s88), o brasileiro Bruno Lins (14s88) e o equatoriano Alex Quiñónez (15s90), sob um forte sol.

"Estava realmente muito quente. Mas o clima estava bom. Estou acostumado com o calor na Jamaica. Mas espero que da próxima vez não esteja tão quente. Correr na praia foi extraordinário", disse Bolt, que quase queimou os pés na pista quente ao ficar descalço -ele jogou uma sapatilha para o público.

Após a prova, Bolt animou o público dançando com atletas da prova feminina o hit "Ah! Lelek", febre iniciada na internet. Ele disse que já tinha ouvido a música. "Gosto de boa música".

Ele driblou por diversas vezes os jornalistas e a produção do evento. De forma inesperada, foi para a areia cumprimentar o público, separado por grades de proteção, que assistia à corrida. Assim como o papa João Paulo 2º e a cantora Madonna, Bolt foi mais uma celebridade a desfilar com a bandeira do Flamengo. Após a vitória, um homem a jogou da areia da praia e o jamaicano demorou a larga-la.

"Não sabia exatamente o que era. Mas sei que é um grande time aqui do Rio. Foi bom", disse ele, torcedor do Manchester United.

Um grupo na areia mostrava faixas contra a demolição do estádio de atletismo Célio de Barros, no complexo do Maracanã. Ele tentou, sem sucesso, entregar uma carta a Bolt sobre o caso. O jamaicano declarou na sexta-feira não conhecer a polêmica.

O estádio será desfeito para abrigar um estacionamento. Um centro de treinamento, de menor porte, será construído próximo ao local.
 

continua após publicidade