Esportes

Garota-símbolo diz que falta investimento em atletas

Da Redação ·





Por Fábio Seixas

RIO DE JANEIRO, RJ, 24 de março (Folhapress) - Aos 15, na República Tcheca, ela foi campeã mundial e ganhou status de maior promessa do atletismo brasileiro. Aos 17, na Dinamarca virou estrela da vitoriosa candidatura a 2016 e fez Lula chorar. Aos 21, em Sulacap, zona oeste do Rio, tenta recomeçar após uma série de fracassos.

E diz, com tom de decepção: "A Olimpíada não melhorou nada pra gente. Achei que teria mais investimentos nos atletas. Mas faltam três anos e não aconteceu nada". Com a exceção do sorriso escancarado, a Bárbara Leôncio de hoje pouco lembra as duas versões anteriores.

Não é mais a adolescente franzina que conquistou o ouro nos 200 m no Mundial juvenil de Ostrava, em 2007. Ganhou músculos e, em 2011, colocou silicone, 300 ml em cada seio -decisão duramente criticada pelo ex-técnico e pela Farj (Federação de Atletismo do Rio de Janeiro). Também diz não ser mais a esperançosa cabo-eleitoral de Copenhague, em 2009.

Na apresentação final da candidatura carioca aos membros do COI (Comitê Olímpico Internacional), ela foi colocada ao lado de Lula. Um vídeo de 42 segundos mostrando sua rotina numa área humilde de Curicica, também na zona oeste carioca, encheu o telão e arrancou lágrimas do ex-presidente.
 

continua após publicidade