Esportes

Na estreia de Jorginho, time tropeça de novo e sai vaiado

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 23 de março (Folhapress) - Na estreia de Jorginho como técnico do Flamengo, a equipe rubro-negra não saiu do 0 a 0 com o Boavista, no Rio, pela segunda rodada da Taça Rio -segundo turno do Campeonato Carioca.

Os 6.203 torcedores presentes no Engenhão vaiaram a partida de baixo nível técnico e de poucas oportunidades de gol. O time flamenguista sofreu com os erros de passe e a pouca movimentação de seus jogadores na frente, que ficaram presos à forte marcação exercida pelo Boavista que, por sua vez, também produziu pouco no ataque.

O Flamengo dominou as ações nos primeiros minutos. Com muita velocidade pelos lados, o mais acionado era o lateral esquerdo João Paulo, que tinha espaços para jogar pelo lado do campo. Mas faltava capricho na conclusão das jogadas. O centroavante Hernane saía muito da área e diminuía as opções de finalização.

Após a parada técnica, com 20min de partida, o Flamengo diminuiu o ritmo e o jogo caiu de produção. A equipe rubro-negra abandonou as jogadas pelos lados e passou a errar muitos passes, fruto da pouca movimentação dos seus atletas, o que facilitou a vida da defesa do Boavista.

A equipe de Saquarema, por sua vez, avançou a marcação e tentou chegar à meta de Felipe, mas só ameaçou em uma cobrança de falta do meia Tony.

O clube da Gávea só voltou a incomodar a meta de Vinícius aos 32min, com Ibson, após uma rara jogada de movimentação e troca de passes. A fraca atuação da equipe rubro-negra provocou vaias da torcida.

O panorama do segundo tempo prosseguiu semelhante ao primeiro. O Boavista pouco arriscava na frente e preferia limitar-se a marcar a saída de bola flamenguista, dificultando o toque de bola de Ibson e Elias para levar a bola até o ataque.

Cléber Santana e Rafinha estavam sem inspiração e não criavam lances para Hernane concluir. Com essa dificuldade na criação, Jorginho tirou Ibson e Cléber Santana e colocou os garotos Gabriel e Nixon.

As modificações melhoraram o Flamengo que, na base da pressão, ficou mais tempo com a bola e passou a explorar os cruzamentos e conquistou vários escanteios, que, no entanto, foram rebatidos pela defesa do Boavista. A partida terminou sob mais vaias da torcida.

O resultado deixa as duas equipes na lanterna do Grupo B da Taça Rio, com um ponto cada. Na próxima rodada, o Flamengo encara o Bangu, fora de casa, na quarta-feira. No mesmo dia, o Boavista visita o Audax.



BOAVISTA

Vinicius; Leonardo, Rômulo, Bruno Costa e Romarinho; Douglas Pedroso, Thiaguinho (Leandro Chavez), Tony e Bruno Tiago (Max Pardalzinho); Léo Faria (Julio César) e Gilcimar. Técnico: Lucho Nizzo.



FLAMENGO

Felipe; Léo Moura, Alex Silva, Wallace e João Paulo; Amaral, Elias, Ibson (Gabriel) e Cleber Santana (Nixon); Rafinha e Hernane. Técnico: Jorginho



Estádio: Engenhão, no Rio

Árbitro: Péricles Bassols Pegado Cortez

Cartões amarelos: Tony, Léo Faria (B) e Alex Silva (F)

Renda: R$ 113.650,00

Público: 6.203 presentes
 

continua após publicidade