Esportes

Estádio-Rio - (Atualizada)

Da Redação ·

Governo oferece áreas, mas mantém retirada de índios RIO DE JANEIRO, RJ, 21 de março (Folhapress) - O governo do Rio de Janeiro anunciou hoje que vai manter a decisão de esvaziar a Aldeia Maracanã, ao lado do estádio. Ofereceu também três opções de alojamento para os índios se instalarem. Ontem, venceu o prazo para a reintegração de posse do terreno, anexo do estádio do Maracanã, em favor do governo do Estado. O despejo, portanto, está autorizado desde hoje. O secretário de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, Zaqueu Teixeira, disse que os índios podem se instalar em um terreno em Jacarepaguá. Outras opções são uma área do lado do barracão de obras da Odebrecht, na avenida Visconde de Niterói, além de um espaço à parte no abrigo Cristo Redentor, em Bonsucesso. Os índios também podem voltar para a sua aldeia de origem ou receberem o benefício do aluguel social de R$ 400. "Estamos oferecendo as garantias necessárias para que eles deixem o local pacificamente. Existe uma ordem judicial, que será cumprida", afirmou o secretário. Afonso Aporiña, um dos líderes da Aldeia Maracanã, disse que a comunidade não deixará o local, considerado sagrado. O alojamento ficará disponível até que fique pronto o Centro de Referência da Cultura dos Povos Indígenas, onde poderão se instalar definitivamente. O prazo para que isso ocorra, no entanto, ainda não está definido. A estimativa do secretário é que demore cerca de um ano e meio. Parte de área da aldeia será usada para circulação de torcedores, após a conclusão da reforma do estádio para a Copa do Mundo de 2014. O prédio, que abrigou o Museu do Índio até 1978, será reformado e receberá o Museu Olímpico, administrado pelo COB (Comitê Olímpico Brasileiro).  

continua após publicidade