Esportes

Bellucci joga para encerrar série de reveses

Da Redação ·

Por Fernando Itokazu SÃO PAULO, SP, 20 de março (Folhapress) - Número um do Brasil e 40º do mundo, Thomaz Bellucci tenta amanhã contra o americano Christian Harrison, 377º, interromper a série de cinco derrotas consecutivas. O brasileiro só amargou uma marca pior no início de sua carreira. Em 2008, temporada em que começou a disputar os torneios de elite com mais frequência, Bellucci acumulou duas séries de seis revezes seguidos. A diferença é que na sequência atual nenhum dos algozes estava mais bem ranqueado do que o brasileiro. Dos cinco últimos adversários, dois estavam fora do top 100: o argentino Diego Sebastian Schwartzman (166º do mundo) e o ucraniano Sergii Stakhovski (108º). Nas séries negativas de 2008, Bellucci também acabou eliminado por tenistas mal posicionados no ranking, mas a maioria de suas derrotas aconteceu diante de adversários teoricamente favoritos, como o espanhol Fernando Verdasco, então o 11º do mundo, e o argentino Juan Martin del Potro, 19º. A sequência atual começou com a eliminação diante do italiano Filippo Volandri, ainda na segunda rodada do Brasil Open, em fevereiro, quando o brasileiro deixou a quadra do Ibirapuera vaiado. Ele tem agora uma grande oportunidade de encerrá-la. Convidado da organização do Masters 1.000 de Miami, Harrison tem apenas 18 anos e disputa pela primeira vez um torneio da elite do circuito da ATP (Associação dos Tenistas Profissionais). "Não o conheço, mas é sempre perigoso enfrentar um jogador novo, que está buscando seu espaço no circuito", afirmou Bellucci. "Ele vai jogar, com certeza, sem pressão", completou. O tenista brasileiro enfrenta o pior início de temporada de sua carreira e até tentou chegar a Miami com um pouco mais de ritmo de jogo. Eliminado logo na estreia do Masters 1.000 de Indian Wells, no início do mês, Bellucci pediu e foi contemplado com um convite para o Challenger de Dallas. A série challenger conta com torneios de segundo escalão do circuito da ATP. A estratégia do brasileiro, que entrou na chave como cabeça de chave número dois, era usar o evento de Dallas como preparação para Miami e "ganhar ritmo". No ano passado, após ser eliminado na estreia de Wimbledon, Bellucci também decidiu pedir um convite para disputar um challenger. Acabou campeão de Braunschweig e no embalou enfileirou o vice-campeonato em Stuttgart e o título em Gstaad, torneios do primeiro escalão do circuito. No torneio texano, porém, o plano deu errado e Bellucci acabou superado na estreia, diante de Stakhovski. Serena mira o hexa Em busca de seu sexto título no Torneio de Miami, Serena Williams tenta se isolar como a maior vencedora do evento -ela divide a honraria com a alemã Steffi Graf. De volta ao topo do ranking, a americana disse que procura pensar jogo a jogo. "É a melhor maneira de lidar com isso", afirmou ela, que estreia contra a italiana Flavia Penneta.  

continua após publicidade